Finanças

Cobre opera em baixa, antes do payroll e pressionado por cautela sobre comércio

O cobre opera em território negativo nesta manhã, com investidores ainda de olho em novidades das tensões comerciais pelo mundo. Além disso, há expectativa pela divulgação do relatório mensal de empregos (payroll) de agosto dos Estados Unidos, nesta manhã.

Às 7h (de Brasília), o cobre para três meses caía 0,52%, a US$ 5.878 a tonelada, na London Metal Exchange (LME). Na semana, por enquanto o contrato recuava 1,9%. Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o cobre para dezembro tinha baixa de 0,80%, a US$ 2,6155 a libra-peso, às 7h11.

A cautela com o comércio, sobretudo diante das tensões entre Estados Unidos e China, têm pressionado os metais básicos recentemente. Segundo Matthew Turner, economista da Macquarie, as quedas dos metais se devem sobretudo ao temor de uma guerra comercial, que prejudicaria a demanda global. O presidente americano, Donald Trump, pode anunciar mais tarifas sobre produtos chineses em breve.

Também contém os preços do cobre o crescimento contínuo nesta semana dos estoques monitorados pela LME.

Entre outros metais básicos negociados em Londres, o zinco caía 1,05%, a US$ 2.412,50 a tonelada, o alumínio subia 0,61%, a US$ 2.059 a tonelada, o estanho tinha ganho de 1,01%, a US$ 19.020 a tonelada, o níquel caía 1,2%, a US$ 12.320 a tonelada, e o chumbo subia 0,51%, a US$ 2.054 a tonelada. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tópicos

manhã metais Mundo