Finanças

Cobre opera em baixa, ainda na esteira da desaceleração do PIB da China


Os preços de cobre operam em baixa nesta manhã, ainda na esteira da desacelaração do crescimento econômico na China em 2018 ao nível mais baixo em 28 anos.

Às 9h34 (de Brasília), a tonelada do metal na London Metal Exchange (LME) para entrega em três meses caía 0,14%, a US$ 5.965,00. Já na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o cobre para março recuava 1,73%, a US$ 2,6720 a libra-peso.

Além da nítida perda de ritmo da atividade chinesa, que impacta a perspectiva da demanda por metais básicos, o jornal canadense The Globe and Mail trouxe a informação de que os Estados Unidos planejam pedir ao Canadá a extradição da diretora financeira (CFO) da empresa chinesa Huawei, Meng Wanzhou, segundo o embaixador canadense em Washington, David MacNaughton. Observadores veem o imbróglio como uma potencial fonte de contenda em meio às negociações comerciais sino-americanas.

Entre outros metais negociados na LME, a tonelada do alumínio subia 0,76%, a US$ 1.863,50, a do zinco avançava 0,47%, a US$ 2.588,00, a do estanho cedia 0,07%, a US$ 20.605,00, a do níquel tinha baixa de 1,23%, a US$ 11.665,00, e a do chumbo ganhava 0,52%, a US$ 2.018,50.