Economia

CNI considera excessiva e equivocada nova alta da taxa Selic

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) considerou “excessiva” a nova alta na taxa Selic, anunciada nesta noite pelo Banco Central. O Comitê de Política Monetária (Copom) decidiu elevar a taxa de juros em mais um ponto porcentual, fixando-a em 12,75% ao ano.

“Para a indústria, a taxa de 11,75% ao ano já era suficiente para reduzir a inflação e a decisão do Banco Central, de elevar novamente a taxa básica de juros, piora expectativas sobre crescimento da economia”, diz a CNI em nota divulgada nesta quarta-feira, 4.



Para a entidade, a decisão do Copom foi “equivocada”. A CNI lembra que, desde março de 2021, a taxa básica de juros tem sido elevada pelo BC, acumulando mais de 10 pontos porcentuais de alta no período.

“Este novo aumento da taxa de juros deve comprometer ainda mais a atividade econômica, que já dá claros sinais de fraqueza. Para a indústria, a intensificação do ritmo de aperto da política monetária piora as expectativas para o crescimento econômico em 2022, com efeitos adversos sobre a produção, o consumo e o emprego”, afirma o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, por meio da nota.

Na avaliação da CNI, a expectativa de inflação cadente e a trajetória incerta de recuperação da atividade econômica demanda uma política mais moderada e atenta aos desafios de crescimento do Brasil no curto prazo.

+ Confira 10 receitas para reaproveitar ou turbinar o arroz do dia a dia