Giro

Próxima cúpula do G7 será em clube de golfe de Trump na Flórida

Próxima cúpula do G7 será em clube de golfe de Trump na Flórida

(Arquivo) O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump - AFP

A próxima reunião de cúpula do G7 será realizada em um dos clubes de golfe do presidente Donald Trump na Flórida, informou a Casa Branca nesta quinta-feira (17). A oposição democrata imediatamente criticou a decisão, denunciando uma “corrupção descarada”.

O local escolhido é o Trump National Doral Club, um resort de luxo em Miami.

“Não é o único lugar possível, mas é o melhor”, disse o chefe de gabinete Mick Mulvaney em uma entrevista coletiva na Casa Branca.

A ideia de celebrar ali a cúpula prevista para 2020 havia sido promovida abertamente pelo próprio Trump durante o último G7 em Biarritz, na França, e provocou na época uma onda de críticas e questionamentos sobre possíveis conflitos de interesses.

“Utilizamos os mesmos critérios que os usados pelos governos anteriores” para a organização de cúpulas, assegurou Mulvaney, que garantiu ter avaliado 12 opções.

– “Corrupção descarada” –

Para o democrata Jerry Nadler, presidente do comitê judicial da Câmara de Representantes, a decisão está entre “os exemplos mais descarados até o momento da corrupção do presidente”.

“Ele está se aproveitando de seu cargo e tomando decisões oficiais de governo dos Estados Unidos para seu benefício financeiro pessoal”, condenou Nadler em comunicado.

O congressista esclareceu que este último exemplo de “abuso de poder” seria uma distração para as investigações em curso sobre o escândalo que envolve a Ucrânia e que poderá custar a Trump sua presidência.

Perguntando se o presidente tinha consciência de que utilizar seu próprio estabelecimento como sede da cúpula iria despertar críticas, Mulvaney respondeu afirmativamente, acrescentando que Trump havia decidido manter sua escolha de qualquer maneira.

– A preço de custo –

“Escutem, eu já era cético, era consciente das críticas políticas que íamos nos submeter por fazer (a cúpula) em Doral”, disse Mulvaney, esclarecendo que o evento será realizado pelo preço de custo.

Mulvaney disse que, segundo Trump, Doral representará uma economia da metade do orçamento que qualquer uma das outras locações consideradas implicaria, mas não apresentou estimativas ou comparações.

“Vamos fazer lá, e terá gente que nunca superará o fato de que é uma propriedade de Trump. Entendemos isso, mas faremos lá mesmo assim”, acrescentou.

Minimizando qualquer questionamento ético o legal, Trump havia garantido em Biarritz que com a cúpula não teria “nenhum” lucro. “Não estou interessado em ganhar dinheiro”, acrescentou.

Comprado pelo magnata em 2012, o Trump National Doral Golf Club é apresentado em seu site como um “oásis tropical” que oferece mais de 600 quartos, incluindo duas “suítes presidenciais” e um grande salão de festas batizado como “Donald J. Trump”.