Edição nº 1134 19.08 Ver ediçõs anteriores

Cimento mais limpo

Enquanto o governo Bolsonaro vai, gradualmente, transformando em pó as políticas ambientais do País, grande parte das empresas mantém em pé suas iniciativas de redução do impacto na natureza. Um exemplo disso é a Intercement, uma das maiores fabricantes de cimento e concreto do mundo. A companhia definiu para este ano a meta de substituir parte do coque de petróleo e do carvão mineral por biomassa, como casca de licuri, baru e casca de arroz. A previsão é suprir 23% de sua necessidade de combustível. De 2014 a 2019, a empresa investiu R$ 38,4 milhões nesse sistema e, somente no ano passado, reduziu em 437 milhões de toneladas a emissão de CO2.

(Nota publicada na Edição 1124 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Que tiro foi esse?

Se existe um presidente de empresa feliz da vida no Brasil, esse é Salesio Nuhs, CEO da fabricante de armas Taurus. As vendas cresceram [...]

Do turismo ao imóvel

O empresário Valter Patriani, cofundador da agência de viagens CVC, ao lado de Guilherme Paulus, vendeu recentemente sua participação [...]

A moda do cacau saudável

No início de 2017, surgiu no mercado a Dengo Chocolates, marca do empresário Guilherme Leal, cofundador da Natura, com a proposta de [...]

Tudo que reluz

O mercado de gemas e metais preciosos defende uma simplificação dos tributos que incidem sobre as joias, com a Reforma Tributária. Por [...]

Na carona dos investimentos

A Valemobi, empresa de tecnologia para o mercado financeiro, vai apostar no TradeMap, uma plataforma digital que se propõe a conectar [...]
Ver mais