Ciência

Cientistas argentinos criam teste mais simples e barato para a COVID-19

Cientistas argentinos criam teste mais simples e barato para a COVID-19

(Arquivo) A cientista argentina Lorena Boado, no Instituto de Ciência e Tecnologia Dr. Cesar Milstein - AFP


Criado por cientistas argentinos, o teste para detectar o novo coronavírus é “mais simples, mais rápido e mais barato” do que os disponíveis no mercado, disse nesta quinta-feira (21) o chefe dos pesquisadores em Buenos Aires.

O teste, chamado “Neokit-Covid-19”, foi desenvolvido pelo Ministério da Ciência, pelo Centro Estadual de Pesquisa Conicet e pelo instituto público-privado César Milstein, que leva o nome do Prêmio Nobel de Medicina da Argentina em 1984.

“O que chama atenção nessa criação é sua simplicidade, com poucos elementos e uma visualização diagnóstica absolutamente rápida”, disse Adrián Vojnov, diretor do Instituto Milstein, em coletiva de imprensa da qual participou a AFP.

O teste mais comum usado até agora é o chamado PCR (Reação em Cadeia da Polimerase), importado ou preparado no Instituto Malbrán, pertencente ao Estado.

“Não há estimativa definitiva, mas o custo do ‘Neokit-Covid-19’ será de US$ 8 a US$ 10, abaixo da metade ou de um terço do valor do PCR”, disse Vojnov, gerente de projeto do novo teste.

Devido à simplicidade da análise e à manipulação dos testes, “não é necessário pessoal altamente treinado” para realizá-lo, explicou Vojnov.

Na Argentina, foram detectados 9.270 casos do novo coronavírus, com 404 mortes, segundo os últimos dados oficiais.

Desde o primeiro caso, em 4 de março, foram realizados cerca de 117.000 testes.

O governo planeja fabricar 10.000 testes imediatamente e atingir uma produção de 100.000 por semana, segundo os cientistas.