Giro

Chuvas de verão em SP já deixam 24 mortos e 14 cidades em emergência


As chuvas deste verão já causaram a morte de 24 pessoas e deixaram 14 cidades em emergência no Estado de São Paulo, segundo a Defesa Civil. Outras 50 pessoas ficaram feridas. Houve ainda 587 desabrigados e 5.150 desalojados em razão das chuvas. O relatório cobre o período de 1º de dezembro de 2019 até esta sexta-feira, 28, mas a maioria das ocorrências é deste ano. O maior número de mortes (13) aconteceu em inundações e enchentes. Houve ainda seis mortes por deslizamentos.

A Operação Verão, coordenada pela Defesa Civil do Estado, segue até o dia 31 de março. No verão passado, no período total de quatro meses, foram registradas 41 mortes e 73 pessoas feridas em decorrência de eventos climáticos.

Nesta quinta-feira, 27, um motorista de 80 anos morreu após cair em uma vala aberta pelas chuvas na rodovia vicinal Almino Afonso, em Mogi Guaçu, no interior de São Paulo. Segundo a Guarda Municipal da cidade, a enxurrada arrancou uma tubulação de concreto no aterro da estrada, abrindo uma cratera. O solapamento teria acontecido minutos antes da chegada do caminhão, carregado de areia, que não conseguiu frear. Na queda, o motorista foi soterrado pela areia e não resistiu.

De acordo com a coordenadoria estadual de Defesa Civil, das 14 cidades que decretaram situação de anormalidade (emergência ou calamidade pública), cinco – São Carlos, Taquaritinga, Itápolis, Bebedouro e Botucatu – já tiveram essa condição homologada pelo Estado. Ainda esperam o reconhecimento Salto, Taboão da Serra, Santa Cruz da Esperança, Bofete, Caieiras, Osasco, Andradina, Pirapora do Bom Jesus e Laranjal Paulista.

Tópicos

balanço chuvas SP