Internacional

China tem primeiro registro de morte devido a vírus raro de macaco

Crédito: Pixabay

A vítima é um veterinário de 53 anos de Pequim (Crédito: Pixabay)

A China registrou a primeira morte de humano devido a um vírus raro já identificado em macacos. Um homem contraiu uma doença infecciosa rara de primatas, conhecida como vírus do macaco B e também como Herpes B. A vítima é um veterinário de 53 anos de Pequim. As informações são de autoridades de saúde chinesas, divulgadas pelo jornal The Washington Post.

De acordo com o Centro Chinês para Controle e Prevenção de Doenças, o homem trabalhava em um instituto de pesquisa especializado em reprodução de primatas e dissecou dois macacos mortos em março. Um mês depois, ele sentiu náuseas, vômitos, febre e morreu em 27 de maio. As amostras de sangue e saliva foram enviadas para o centro em abril, quando os pesquisadores encontraram evidências do vírus do macaco B.

+ Juíza nega habeas aos macacos-prego Chiquinho e Catarina e mantém guarda do Ibama

O vírus do macaco B ou herpes B é prevalente entre os macacos, mas extremamente raro – e muitas vezes mortal – quando se espalha para os humanos. Em humanos, ataca o sistema nervoso central e causa inflamação no cérebro, levando à perda de consciência, disse Kentaro Iwata, especialista em doenças infecciosas da Universidade Kobe, no Japão, ao jornal americano. Se não for tratada, há uma taxa de mortalidade de cerca de 80%.



Veja também
+ Casamento de Ana Maria Braga chega ao fim após marido maltratar funcionários, diz colunista
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Lázaro Barbosa consegue fugir de novo da polícia após tiroteio
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago