Economia

China reduz compulsórios e libera US$ 56,5 bilhões em crédito para empresas

Crédito: AFP

Cemitério de Biandanshan, em Wuhan (Crédito: AFP)


O banco central da China, conhecido como PBoC, decidiu nesta sexta-feira reduzir compulsórios bancários pela segunda vez em menos de um mês, como parte de uma estratégia de Pequim de estimular uma economia fortemente atingida pela pandemia de coronavírus.

O PboC anunciou que vai cortar os compulsórios exigidos de pequenos e médios bancos comerciais e rurais em um ponto porcentual, liberando 400 bilhões de yuans (US$ 56,5 bilhões) em liquidez no sistema bancário.

Banco Mundial vai liberar US$ 160 bi em 15 meses por Covid-19

Covid-19: BC anuncia que pode liberar até R$ 650 bilhões na economia

A redução ocorrerá em duas etapas, nos dias 15 de abril e 15 de maio, período depois do qual 4 mil bancos e empresas de leasing em operação na China terão de alocar 6% de seus depósitos para o PBoC.

A iniciativa tem o objetivo de encorajar ainda mais a concessão de crédito para pequenas empresas que estão vulneráveis em meio ao choque econômico do coronavírus, afirmou o PBoC.

O BC chinês também informou que vai reduzir a taxa de juros cobrada sobre excesso de reservas dos bancos, de 0,72% para 0,35%. Com o corte, o PBoC pretende impulsionar a eficiência do setor bancário na utilização de seus recursos. Fonte: Dow Jones Newswires.