Economia

Chegam ao fim voos de certificação do Boeing 737 MAX

Chegam ao fim voos de certificação do Boeing 737 MAX

Um Boeing 737 MAX em fase de pouso depois de concluir o primeiro de vários voos de certificação em 29 de junho de 2020, em Seattle, Estados Unidos - GETTY IMAGES NORTH AMERICA/AFP

A agência de aviação civil dos Estados Unidos (FAA) encerrou nesta quarta-feira (1) a série de voos de certificação do Boeing 737 MAX, uma etapa crucial para a sobrevivência da fabricante de aviões, que deixou de operar em março de 2019 após duas catástrofes aéreas, informaram as autoridades.

“A FAA e a Boeing concluíram hoje os voos de teste de certificação no Boeing 737 MAX. Durante três dias de testes nesta semana, pilotos e engenheiros da FAA avaliaram as modificações da Boeing no sistema de controles automatizados de voo”, segundo um comunicado da agência.

A FAA será responsável por dar ou não o aval para o 737 MAX voar novamente.

Dois acidentes envolvendo esse modelo, em que 346 pessoas morreram, levaram o seu uso a ser suspenso.

O avião iniciou os voos de certificação na segunda-feira no Boeing Field, perto de Seattle, o berço da fabricante americana.

A FAA não deu detalhes sobre como foram os testes, mas insistiu que a proibição de voos só será revogada quando os especialistas em segurança da agência “tiverem certeza de que o avião atende aos critérios de certificação”.

Durante a investigação pós-acidente do 737 MAX, a agência foi acusada de conluio com equipamentos da Boeing, o que poderia ter levado a uma certificação muito rápida do avião e seu sistema de estabilização, o MCAS.

Esse programa foi identificado como o responsável pelos acidentes da companhia aérea indonésia Lion Air, em outubro de 2018, e da Ethiopian Airlines, em março de 2019.

A Boeing trabalha há meses para devolver seu modelo de médio porte, cujas vendas representavam sua principal fonte de receita antes da crise, mas a FAA detalhou meia dúzia de condições a mais para obter uma possível certificação.

No final de abril, a empresa anunciou o corte de 10% de sua força de trabalho, cerca de 16.000 empregos.

A agência de classificação de crédito S&P rebaixou a nota da Boeing de A para BBB, colocando-a um nível na categoria especulativa.

Veja também

+ Quarta parcela do auxílio sai hoje (14) para os nascidos em agosto

+ Cunhado de Maradona morre de Covid-19 na Argentina

+ Nazistas ou extraterrestres? Usuário do Google Earth vê grande ‘navio de gelo’ na costa da Antártida

+ Avaliação: Chevrolet S10 2021 evoluiu mais do que parece

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Carol Nakamura anuncia terceira prótese: ‘Senti falta de seios maiores’

+ Ex-Ken humano, Jéssica Alves exibe visual e web critica: ‘Tá deformada’

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?