Cheeseburguer de US$120

Cheeseburguer de US$120

Elevar o cheeseburguer ao status gourmet é a moda do século 21. No restaurante Barclay Prime, na Filadélfia – de Stephen Starr, dono do grupo Starr Restaurantes, que opera mais de 30 empreendimentos de culinária na cidade –, o sanduíche Barclay Prime Cheesesteak sai por módicos US$ 120 (cerca de R$ 490). O lanche luxuoso é feito com wagyu do tipo mais nobre, mousse de foie gras, cebola, queijo trufado e rolo fresco de gergelim cozido, servido com meia garrafa de champanhe. O restaurante da Filadélfia é uma reformulação sofisticada de churrascaria convencional. O menu do Barclay Prime oferece reviravoltas sutis na culinária contemporânea, levando a sua experiência gastronômica a novo nível.

(Nota publicada na Edição 1146 da Revista Dinheiro)


Mais posts

O mais premiado azeite do mundo

Amantes do azeite, celebrai! Chega ao País o premiadíssimo Josep Llorens Palacio de Los Olivos, espanhol que já foi eleito duas vezes o [...]

O hotel das estrelas

Frank Sinatra, Marilyn Monroe e Charles Chaplin. Além de serem admiradas por todo o planeta, essas três celebridades do mundo da arte [...]

Elegância e requinte no pulso

Uma das grifes de relógio mais célebres e sofisticadas do mundo, a Montblanc acaba de lançar a linha Heritage, com peças masculinas, e [...]

É Alagoas. Mas pode chamar de “paraíso”

Sabe aquele lugar fabuloso, onde é possível relaxar de verdade, longe de todo tipo de agito, e ainda conciliar tudo isso com muito [...]

Decante de cristal para seu champanhe

Seu champanhe favorito pode ficar ainda melhor. Essa é a aposta do produtor de vinho francês, Jean-Charles Boisse. O Boisset Passion [...]
Ver mais

Copyright © 2019 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.