Chanel em dose tripla

Chanel em dose tripla

Que mulher não ganha um brilho nos olhos diante de qualquer peça Coco Chanel? E se, em vez de uma, forem três peças? É o que propõe a nova coleção de braceletes da idolatrada grife francesa. A marca lançou uma série de três pulseiras colecionáveis. Cada peça custa de US$ 9,9 mil a US$ 10,5 mil (de R$ 56 mil a R$ 60 mil). Com desenhos que remetem ao acolchoado das icônicas bolsas da marca, os braceletes vêm em três tipo de ouro 18 quilates: branco, amarelo e rosa. Todos os modelos são foscos e têm detalhes de diamante. Sozinhas, as peças já produzem um belíssimo efeito no braço de uma mulher. Combinadas, então, as três pulseiras vão causar um impacto magnífico. Vai custar um pouco mais, em torno de R$ 170 mil. Mas vai ser um espetáculo.

(Nota publicada na edição 1172 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Viagem (milionária) ao fundo do mar

O mundo submarino é lindo e fascinante. O genial escritor francês Julio Verne sabia bem disso, quando criou o clássico 20 mil Léguas [...]

Eternamente clássico

A Cutler and Gross não precisou de muito tempo para se firmar como uma das grifes de óculos de luxo mais reconhecidas do mercado [...]

Elegância aos seus pés

No mundo dos sapatos masculinos, poucas marcas têm tanto prestígio e respeito quanto a Berluti. Afinal, são exatos 125 anos de [...]

Mixologia por delivery

A quarentena que mantém bares fechados em todo o mundo está levando muita gente a se arriscar na coquetelaria para preparar, em casa, [...]

Bem mais do que um George Foreman

Em dias de confinamento social, torna-se cada vez mais importante achar maneiras de encontrar prazer e diversão dentro de casa. E [...]
Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.