Giro

CFM lança canal para médicos denunciarem falta de equipamentos e irregularidades

O Conselho Federal de Medicina (CFM) lançou nesta segunda-feira, 30, um canal de denúncias para médicos sobre falta de equipamentos de proteção, infraestrutura precária para atendimento e outras irregularidades que podem ocorrer em unidades do SUS e da rede privada durante a pandemia da covid-19.

A entidade liberou em seu site um formulário para denúncia. A ideia é gerar relatórios para serem distribuídos entre os conselhos regionais e tentar resolver os problemas com autoridades locais.

“Não é de agora que a entidade vem elaborando inúmeras notas técnicas sobre as fragilidades no atendimento. Neste momento, onde temos uma pandemia que parece se disseminar facilmente, a preocupação aumenta”, disse o diretor de Comunicação do CFM, Hideraldo Cabeça.

O formulário tem campos específicos sobre acesso de equipamentos de proteção obrigatória, que são máscaras e luvas (de diferentes tipos), avental, gorro, óculos e protetor facial. O médico também poderá apontar a falta de insumos para higienização e desinfecção, como álcool gel.

Irregularidades

A plataforma permite ainda relatar carências em espaço de atendimento, como falta de leitos de internação, ou até mesmo assédio moral e subnotificação de casos que chegam ao atendimento de saúde, segundo o CFM.

A notificação será georreferenciada. Ou seja, o conselho poderá saber exatamente onde está a unidade de saúde para levar a denúncia para as autoridades competentes.

O conselho aponta preocupação com cenários vistos em outros países, como na Itália, onde há afastamento de profissionais de saúde por suspeita ou contaminação da covid-19.

O jornal O Estado de S. Paulo revelou um apelo dramático do governo italiano para liberação de 2 milhões de máscaras que estavam bloqueadas no Brasil. “Os hospitais trabalham há dois dias sem, repito, sem máscaras e começamos a contar mortos entre as heroicas equipes médicas de todas as categorias que trabalham contra a epidemia”, escreveu o embaixador italiano Francesco Azzerello a ministros do governo brasileiro.

Na semana passada, a Associação Nacional de Hospitais Privados informou ao Estado que há unidades da rede privada com até 10% da equipe já afastada.

Veja também

+ Receita abre consulta a segundo lote de restituição de IR, o maior da história
+ Homem encontra chave de fenda em pacote de macarrão
+ Baleias dão show de saltos em ilhabela, veja fotos!
+ 9 alimentos que incham a barriga e você não fazia ideia
+ Modelo brasileira promete ficar nua se o Chelsea for campeão da Champions League
+ Cuide bem do seu motor, cuidando do óleo do motor
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança