Negócios

Cerveja Praya quer triplicar seu faturamento em 2018 após abrir fábrica no sul

Antes atuando no eixo Rio-São Paulo, a marca abriu fábrica no Paraná, e busca expansão em direção ao sul do país

Cerveja Praya quer triplicar seu faturamento em 2018 após abrir fábrica no sul

A cerveja carioca Praya foi fundada por quatro amigos em 2016. Indo na contramão de grande parte das cervejarias artesanais, que oferecem uma série de opções em seu cardápio de produtos, a Praya completa dois anos de vida oferecendo apenas um rótulo. Não que isso preocupe seus fundadores, uma vez que a marca planeja triplicar seu faturamento neste ano.

A história de como nasceu a Praya foi casual. O então surfista e base jumper Marcos Sifu, gostava de cervejas a base de trigo, porém achava elas pesadas demais para o clima brasileiro. Foi então que resolveu fazer uma witbier leve, para combinar com o clima quente brasileiro. Ai nasceu a Praya, que se tornou uma empresa depois que Marcos trouxe os amigos Paulo Castro, Tunico Almeida e Duda Gaspar para a operação.

Em 2016 a cerveja nasceu e começou a ser vendida em alguns pontos do Rio de Janeiro. Em 2017, viu a produção quase caseira de 20 litros se transformar em uma estrutura de 15 mil litros para fornecer os 800 pontos de venda que abastecia no Rio de Janeiro e 200 em São Paulo. A marca fechou seu segundo ano com faturamento de R$ 3,5 milhões, e mira manter a trajetória ascendente em 2018.

Para a felicidade dos quatro sócios, o balanço do primeiro semestre de 2018 foi animador: 3,7 milhões. O número fez com que a Praya mirasse voos mais altos, e a marca já projeto um crescimento de 300% em relação a 2017, buscando fechar o ano com faturamento de R$ 11 milhões. Para tal, a marca investiu em infraestrutura que além de ter dobrado sua capacidade produtiva, abriu caminho para novos mercados.

Antes atuando no eixo Rio-São Paulo, a marca abriu fábrica no Paraná, e busca expansão em direção ao sul do país. “Existe uma questão logística envolvida, bem como um estudo com dados de instituições de pesquisa que nos apontaram que a região sul tinha um consumo per capita interessante”, explica Tunico Almeida. Com o rumo ao sul, a Praya chegou a 2.000 pontos de venda, além de produção mensal de 100 mil litros

Apesar dos números, a expansão da Praya também tem outra explicação, e ela reside no mundo do marketing. O objetivo da marca é que sua cerveja fique atrelada a um lifestyle de praia, esporte e saúde. Para isso, a cerveja patrocina diversas iniciativas que fogem do mundo cervejeiro, como o lançamento de coleção cápsula com a marca Hadred de André Namitala ou apoio a barco de surfe Sibon Praya nas ilhas Mentawai, na Indonésia. Tudo isso serve para que a cerveja seja mais do que uma bebida.

“Desde o início, o esporte está junto com a marca através de iniciativas – como apoio a campeonatos locais no Rio de Janeiro, de limpeza de praias, incentivo para atletas e até mesmo apoiando um barco de surfe na Indonésia. A nossa perspectiva é levar, sempre, todas as nossas iniciativas ao público de uma maneira criativa”, explica Paulo Castro.