Edição nº 1134 19.08 Ver ediçõs anteriores

Cerrado ameaçado

Cerrado ameaçado

Segundo maior bioma brasileiro, com extensão de 2 milhões de quilômetros quadrados (km²), o Cerrado está sob ataque e sua destruição tem sido mais intensa do que na Amazônia. Nos últimos 12 meses, foram destruídos 7.697,6 km² de vegetação nativa, de acordo com o sistema de detecção de desmatamento em tempo real do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). Em dez anos, o bioma perdeu 56.300 km², enquanto a Amazônia, duas vezes maior, perdeu 35.800 km². Os números foram levantados pelo Greenpeace e mostram o forte avanço da agricultura na região. O Código Florestal Brasileiro de 2012 obriga as propriedades agrícolas da Amazônia a conservar 80% da vegetação original, porcentagem que diminui para apenas 20% em fazendas no Cerrado. Um projeto de lei apresentado em abril pelo senador Flavio Bolsonaro (PSL-RJ) pretende acabar com a exigência da reserva legal, o que fará o índice de desmatamento subir ainda mais.

(Nota publicada na Edição 1126 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Whiskas promove adoção e castração de gatos de rua

O ditado diz que os gatos têm sete vidas. Mas para muitos dos bichanos, a única vida que possuem é triste, sem lar, entregue a própria [...]

Americanas leva curso de empreendedorismo para Amazônia

Decorrente de uma parceria firmada com a Fundação Amazonas Sustentável (FAS), em 2018, a Lojas Americanas está promovendo alternativas [...]

Alemanha bloqueia R$ 156 milhões para projetos ambientais no Brasil

Em junho, Jair Bolsonaro celebrou um acordo histórico: o trato de livre comércio entre o Mercosul e a União Europeia, que já era discutido há duas décadas. A decisão, no entanto, pode estar em risco. Após uma série de atritos envolvendo países europeus e o Brasil, por sua postura inerte em relação ao avanço do […]

McDonald’s quer McLanche feliz mais saudável

A Arcos Dorados, franqueadora master do McDonald’s para América Latina, decidiu repaginar o cardápio de um de seus principais itens: o [...]

Desmatamento na Amazônia cresce 278% em julho

A exoneração de Ricardo Galvão, diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), no dia 2 de agosto, não foi suficiente [...]
Ver mais