Economia

Cerca de R$7,6 milhões de seguro-desemprego foram pagos para pessoas mortas, diz CGU

Crédito: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

As demissões por justa causa retiram diversos direitos do empregado (Crédito: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)



Um relatório publicado pela Controladoria Geral da União (CGU), que investigou os números de 2021 do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), mostrou que mais de R$97 milhões podem ter sido pagos em benefícios de seguro-desemprego de maneira irregular em 2021.  

De acordo com o site Metrópoles, cerca de R$7,6 milhões foram pagos para pessoas mortas. 

+IPVA SP: Quarta parcela com desconto vence nesta terça-feira (24) para grupo de motoristas

O estudo se debruçou sobre os dados de pedidos feitos no primeiro semestre de 2021 por trabalhadores demitidos. 




O maior número de possíveis fraudes, porém, é de benefícios pagos a pessoas com outro vínculo ativo, aposentado ou pensionista de órgãos e entidades públicas que teoricamente não teriam direito a esses pagamentos. Foram 23.237 requerimentos suspeitos e o valor disponibilizado foi de R$  78.608.647,00. Além disso, mais de R$ 9 milhões podem ter sido pagos a trabalhadores demitidos por justa causa ou a pedido. 

A CGU identificou suspeitas de irregularidades em 28,2 mil requerimentos que resultaram nos pagamentos de mais de 72 mil parcelas. A soma dos números de casos suspeitos representa 1% dos requerimentos avaliados.