Negócios

CEO da Xiaomi doa quase US$ 1 bilhão para caridade

Lei Jun recebeu o valor em ações da como bônus pelas “suas contribuições para a empresa” após a companhia abrir seu capital no mercado financeiro

CEO da Xiaomi doa quase US$ 1 bilhão para caridade

Lei Jun, fundador e CEO da Xiaomi, durante evento de tecnologia

O fundador e CEO da Xiaomi, a segunda maior fabricantes de smartphones da China, irá doar US$ 961 milhões para a caridade, informou a companhia nesta quarta-feira (10). Lei Jun recebeu o valor em ações como bônus pelas “suas contribuições para a empresa” após a companhia abrir seu capital no mercado financeiro no ano passado.

A Xiaomi é a quarta maior produtora de smarphones do mundo, atrás somente da Samsung, Huawei e Apple. A companhia chinesa foi fundada em 2010 e estreou no mercado financeiro de Hong Kong em julho de 2018. A empresa divulgou recentemente um aumento de 52,6% na receita do ano passado em comparação com 2017, somando US$ 26 bilhões.

A Xiaomi tem foco na produção de smartphones, mas seu portfólio ainda inclui scooters, colchões e aparelhos domésticos. A companhia adotou uma estratégia de expansão para fora da Ásia e inaugurou sua primeira loja física na Europa em Londres, em novembro do ano passado.