Negócios

CEO da Microsoft defende acordo de US$ 479 milhões com exército dos EUA

Contrato assinado em novembro prevê entrega de 100 mil dispositivos de realidade aumentada para as forças armadas. Funcionários da empresa se manifestam contra

CEO da Microsoft defende acordo de US$ 479 milhões com exército dos EUA

CEO da Microsoft, Satya Nadella - GETTY/AFP/Arquivos

O CEO da Microsoft, Satya Nadella, defendeu o contrato de US$ 479 milhões para o fornecimento de tecnologia de realidade aumentada para as forças armadas dos Estados Unidos. Em entrevista à CNN, ele rebateu críticas de colegas da própria empresa e disse que a Microsoft não negará tecnologia aos governos democráticos.

“Fomos muito transparentes sobre essa decisão e continuaremos a ter esse diálogo [com os funcionários]”, afirmou.

O contrato assinado em novembro passado prevê a entrega de até 100 mil dispositivos tipo o HoloLens 2, apresentado pela Microsoft neste domingo durante o Mobile World Congress, em Barcelona. Os aparelhos permitem a visualização de uma séria de informações e gráficos em tempo real e devem ser empregados em treinamentos e campanhas dos militares norte-americanos.

A aproximação com as forças de segurança gerou críticas dentro da própria empresa e centenas de funcionários assinaram uma carta pedindo para que a Microsof volte atrás na decisão, afirmando que esse tipo de acordo nunca havia sido firmado antes.

“Enquanto a empresa já licenciou tecnologia para os militares dos EUA, nunca cruzou a linha de desenvolvimento de armas. Com este contrato, isso acontece”, diz um trecho do comunicado.

Nadella respondeu que a Microsoft está “atenta à responsabilidade que temos como cidadã corporativa” quando se trata das conseqüências não intencionais do uso da sua tecnologia.