Negócios

Centro comercial e cultural investirá R$ 20 milhões em Paraisópolis

O empreendimento da gestora imobiliária Exxpon ofertará áreas de varejo, restaurantes, parque, auditório e espaço para a companhia de balé da comunidade

Centro comercial e cultural investirá R$ 20 milhões em Paraisópolis

A construção de um centro comercial e cultural levará um investimento superior a R$ 20 milhões à comunidade de Paraisópolis, em São Paulo. O empreendimento, capitaneado pela gestora imobiliária Exxpon, ofertará setores de varejo, restaurantes, parque, auditório e espaço para a companhia de balé da comunidade, em uma área total de 4,5 mil metros quadrados.

O Projeto de Integração de Paraisópolis (Pipa) será dividido em duas etapas. A primeira edificação será um conjunto de seis contêineres com 20 espaços comerciais e um restaurante. A proposta é ampliar para até 16 contêineres ao longo dos meses.

Esta fase terá investimento de R$ 2,5 milhões e será construída em uma área de aproximadamente mil metros quadrados.

As estruturas já estão alocadas nas proximidades do terreno. A projeção do diretor da Exxpon, Jonathan Franklin, é estrear o empreendimento ainda neste semestre, após a liberação de todas as licenças do município.

“A ideia não é chamar de shopping, mas de um centro comunitário com espaço público sustentado pelo varejo. É uma ideia que vai além de um shopping”, afirma o investidor.

A área de contêineres antecipa o projeto principal. A estrutura terá 12 mil metros de área construída, distribuídos em quatro pavimentos. O Pipa, incluindo as dependências adjacentes, é avaliado em R$ 20 milhões. A concretização do empreendimento também está condicionada a liberação de licenças do poder público.

Lista com uma centena de varejistas interessados

Mais de cem lojistas, de variados segmentos e tamanhos, têm interesse em se instalarem no local, afirma o empresário. Na primeira etapa, o Pipa predominará com investimentos de comerciantes de Paraisópolis.

“Por ser um projeto temporário, grandes marcas não têm o interesse de se instalarem nesse momento”, explica Franklin.

Sem revelar valores de aluguéis, ele afirma que as negociações com redes varejistas para o projeto principal estão em andamento e serão confirmadas quando todas as licenças para a construção forem liberadas.

Demanda desassistida

Situada em meio ao Morumbi, uma das regiões mais valorizadas da capital paulista, Paraisópolis concentra aproximadamente 100 mil habitantes em uma área de 800 mil metros quadrados.

Estima-se que a comunidade tenha 8 mil empreendimentos comerciais. Apesar do número, o investidor acredita que ainda exista uma grande demanda desassistida por opções de compra.

“Há gente que mora lá que está com capacidade e vontade de gastar. É mais fácil para eles não precisar sair da comunidade para comprar”, afirma. “Se você traz espaço para eles, eles consomem”,diz.

Outro motivador ao empreendimento é o seu ineditismo, diz o investidor. “Estamos com uma visão de fazer algo que não existe hoje no País. Se conseguirmos desenhar e executar algo que tenha valor agregado para comunidade, vai ser um projeto que, financeiramente, também poderá ser bom para nós.”