Giro

Centenas de monges birmaneses fogem de combates entre Exército e rebeldes

Centenas de monges fugiram de seus mosteiros no leste de Mianmar para evitar os violentos confrontos entre o Exército e os grupos rebeldes contrários à junta militar – disseram testemunhas, neste domingo (16), à AFP.

Em Loikaw, no estado de Kayah, cerca de 30 mosteiros foram abandonados, e seus ocupantes deixaram a cidade a bordo de dezenas de caminhões, relatou um deles à AFP, pedindo para não ser identificado.



Muitos monges também fugiram da cidade de Demoso, a poucos quilômetros de distância, acrescentou.

Há vários dias, estas duas cidades, localizadas a 200 km ao leste da capital birmanesa, Naypyidaw, são palco de intensos combates entre rebeldes e forças militares. O Exército lançou ataques aéreos e fez disparos de artilharia.

A ONU estima que metade da população de Loikaw foi forçada a deixar suas casas e que cerca de 90.000 pessoas do estado de Kayah fugiram. A imprensa local menciona mais de 170.000 deslocados.

+ Especialista revela o segredo dos bilionários da bolsa. Inscreva-se agora e aprenda!



Em Loikaw, combatentes rebeldes invadiram igrejas e casas abandonadas. Também forçaram o acesso a uma prisão para tentar incitar os detentos a se juntarem a eles, informou um membro da polícia local.

Mianmar está mergulhada no caos e na violência desde o golpe de Estado militar de 1º de fevereiro de 2021 que derrubou Aung San Suu Kyi e encerrou uma década de transição democrática.