Dinheiro em Ação

Cenário desafiador para as construtoras

Crédito: Istock

O quarto trimestre de 2021 foi positivo para o setor imobiliário. Várias incorporadoras divulgaram, como de costume, prévias operacionais, e os resultados foram bons. A MRV & Co, que inclui as operações no Brasil e nos Estados Unidos, divulgou um Valor Geral de Vendas (VGV) de R$ 2,4 bilhões no quarto trimestre e de R$ 8,1 bilhões no acumulado de 2021, alta de 8% em relação a 2020. Cerca de 21,7% das vendas vieram da AHS, subsidiária americana da MRV. A EZTec divulgou o maior volume de vendas desde a pandemia. Foram R$ 491 milhões em lançamentos no quarto trimestre, alta de 28,9% ante R$ 381 milhões em 2020. As vendas brutas totalizaram R$ 402 milhões, 42,6% mais que em 2020. A companhia informou que a pandemia a fez adiar empreendimentos de alto padrão. A Mitre anunciou lançamentos de R$ 1,1 bilhão no quarto trimestre, crescimento de 146% ante 2020. No entanto, as vendas foram de R$ 314 milhões, crescimento de apenas 11%. Já os lançamentos da Even cresceram 67,8% no trimestre, para R$ 809 milhões. Todas as companhias se beneficiaram do mercado aquecido. No entanto, muitas registraram um crescimento dos estoques, que terão de ser vendidos durante 2022, ano considerado desafiador.

PETROQUÍMICA
Oferta secundária dos Acionistas da Braskem

A Braskem fará uma oferta secundária de ações. A petroquímica controlada pela Petrobras e pela Novonor, remanescente das operações da Odebrecht, vai vender 154,88 milhões de ações preferenciais, em um negócio que pode movimentar R$ 8 bilhões. A oferta será realizada no Brasil e nos Estados Unidos. Após sua conclusão, em que os controladores venderão suas preferenciais, a expectativa é que a companhia migre para o Novo Mercado e se transforme em uma “corporation”, empresa aberta sem controle definido, o que vai facilitar a gestão e a governança.

BANCOS
Pine empresta 37% mais em 2021

O Banco Pine anunciou sua prévia operacional de 2021, em que originou R$ 4,4 bilhões em empréstimos, crescimento de 37% em relação a 2020. No quarto trimestre do ano passado a originação foi de R$ 1 bilhão, em linha com os trimestres anteriores. A maior parte do crescimento foi nos empréstimos para empresas, que aumentaram 28% no trimestre em relação ao período imediatamente anterior.

DESTAQUE NO PREGÃO
Aliansce SONAE quer fusão. brMalls, nem tanto

Eduardo Knapp

A novela da tentativa da administradora de shopping centers Aliansce Sonae de se unir à concorrente brMalls teve novos capítulos. Na sexta-feira (14) a Aliansce enviou à brMalls uma proposta de combinação de negócios que foi rejeitada na segunda-feira (17). Mesmo assim, a Aliansce reiterou seu interesse em costurar uma fusão de iguais, em que os acionistas de ambas as administradoras teriam fatias semelhantes na nova empresa. Segundo analistas, a conversa não prosperou porque o valor oferecido foi baixo. Mas esperam-se novos lances. A operação faz bastante sentido. Além de gerar R$ 160 milhões em sinergias, a nova companhia teria 69 shoppings e vendas de R$ 38,5 bilhões por ano, tornando-se a maior do setor na América Latina.

TECNOLOGIA
Sinqia adquire LOTE45

A empresa de tecnologia Sinqia anunciou, na terça-feira (18) a aquisição de 52% do capital da LOTE45, especializada em softwares de gestão de risco para fundos de investimento. A compra foi fechada por R$ 79,5 milhões, mais um pagamento futuro que será calculado de acordo com o faturamento da companhia em 2022. Há uma opção de compra dos 48% restantes do capital, que poderá ser exercida até 2026. A empresa adquirida tem 100 clientes, entre gestoras e family offices, e sua compra é a segunda aquisição da Sinqia após a captação de R$ 400 milhões em uma oferta subsequente, realizada em setembro de 2021.