Mundo

Células T de resfriados comuns podem proteger contra Covid-19, aponta estudo

Crédito: REUTERS/Hannah McKay

Mulher assoa o nariz no bairro de Dalston, em Londres, em meio à disseminação da Covid-19 no Reino Unido (Crédito: REUTERS/Hannah McKay)

Por Alistair Smout



LONDRES (Reuters) – Altos níveis de células T geradas por resfriados comuns causados por coronavírus podem fornecer proteção contra a Covid-19, descobriu um estudo do Imperial College de Londres publicado nesta segunda-feira, o que pode direcionar abordagens para uma segunda geração de vacinas.

A imunidade contra a Covid-19 é um quadro complexo e, embora haja evidências de diminuição dos níveis de anticorpos seis meses após a vacinação, acredita-se que as células T também desempenham papel vital em fornecer proteção.

+ Covid-19 e gripe afetam funcionamento de restaurantes, comércios e aéreas

O estudo, que começou em setembro de 2020, analisou os níveis de células T com reatividade cruzada geradas por resfriados comuns prévios em 52 contatos domésticos logo após a exposição a casos positivos para Covid-19, para ver se eles desenvolveriam a infecção.

+ Especialista revela o segredo dos bilionários da bolsa. Inscreva-se agora e aprenda!



Descobriu-se que os 26 que não desenvolveram a infecção tinham níveis significativamente mais altos dessas células T do que as pessoas que foram infectadas. O Imperial College não disse quanto tempo duraria a proteção das células T.

“Descobrimos que altos níveis de células T pré-existentes, criadas pelo corpo quando infectado com outros coronavírus humanos, como o resfriado comum, podem proteger contra a infecção por Covid-19”, disse o autor do estudo, Rhia Kundu.

Os autores do estudo, publicado na Nature Communications, disseram que as proteínas internas do vírus Sars-CoV-2, que são foco das células T, podem oferecer um alvo alternativo para os fabricantes de vacinas.

As atuais vacinas contra a Covid-19 têm como alvo a proteína spike, que regularmente sofre mutações, criando variantes como a Ômicron, que diminuem a eficácia das vacinas contra infecções sintomáticas.

“Em contraste, as proteínas internas alvejadas pelas células T protetoras que identificamos sofrem muito menos mutações”, disse o professor Ajit Lalvani, coautor do estudo.

“Consequentemente, elas são altamente conservadas entre as várias variantes do Sars-CoV-2, incluindo a Ômicron. Novas vacinas que incluem essas proteínas internas conservadas induziriam, portanto, respostas de células T amplamente protetoras que devem proteger contra variantes atuais e futuras do Sars-CoV-2.”

tagreuters.com2022binary_LYNXMPEI090IF-BASEIMAGE



Tópicos

10 e 11 anos 6 e 7 anos 8 e 9 anos Agência Nacional de Vigilância Anvisa anvisa autoriza Vacinação crianças As crianças serão vacinadas em ordem decrescente de idade ato da vacinação audiência pública autorização de pais autorização por escrito boletim escola Bolsonaro campanha vacinação CÉLULAS T comorbidade consulta pública consulta pública da vacina covid consulta pública da vacina covid infantil consulta pública da vacina infantil consulta pública da vacina infantil link consulta pública da vacina infantil ministerio da saude consulta pública realizada pelo governo consulta publica vacina acwy consulta pública vacina covid coronavírus Covid-19 crianças Crianças de 5 a 11 anos de idade com deficiência permanente ou comorbidade Crianças que vivam em lares com pessoas de alto risco para evolução grave de Covid crianças quilombolas e indígenas Crianças sem comorbidades decisão deficiência permanente dose de reforço doses para o público infantil doses pediátricas da vacina exigência de receita médica para a vacinação de crianças Fiocruz fórmula pediátrica exclusiva governo governo não exigirá prescrição médica para a imunização de crianças de 5 a 11 anos IBGE Imperial College imunização dos menores imunizante da Pfizer imunizante de adultos Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística intervalo de doses intervalo de oito semanas Marcelo Queiroga Ministério da Saúde ministro da Saúde nota técnica óbitos de crianças Opas opinião pública ordem de prioridade Organização Pan-Americana de Saúde paralisia infantil vacina covid Pfizer prescrição médica quando começa quem vacina primeiro receita médica para a vacinação saúde secretária Secretaria Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19 ministério da saúde nota técnica contraria governo STF tjgo consulta pública vacina vacina crianças Secretaria contraria governo vacina infantil covid anvisa vacina infantil covid brasil vacina infantil covid calendario vacina infantil covid eua vacina infantil covid mundo vacina pediátrica vacinação Vacinação crianças Vacinação crianças 2ª dose Vacinação crianças a partir de que idade Vacinação crianças doses Vacinação crianças eficácia Vacinação crianças Idade Vacinação crianças imunidade Vacinação crianças postos Vacinação crianças Qual vacina Vacinação crianças Quando começa Vacinação crianças são Paulo Vacinação de crianças Vacinação de crianças contra Covid-19 vacinação de crianças de 5 a 11 anos vacinação infantil contra covid vacinação infantil covid vacinação infantil covid brasil vacinação infantil covid sp