Economia

Ceal não atendeu às métricas de risco e retornos adequados, diz Energisa

Embora tenha estudado participar do leilão da Ceal, última distribuidora da Eletrobras a ser vendida, o Grupo Energisa decidiu não entrar na disputa porque o negócio “não atendeu as métricas de risco e retorno adequados à aquisição”. “Uma das razões são as contingências e endividamento elevados” da distribuidora alagoana, detalhou a Energisa, em nota à imprensa.

“No momento, a Energisa está focada na integração das duas distribuidoras adquiridas este ano da Eletrobras – Ceron e Eletroacre – com o objetivo de fazer dessas empresas mais um exemplo bem sucedido de transformação. Esse trabalho exigirá forte disciplina e foco, tendo em vista que as duas distribuidoras estão em situação financeira e operacional bastante crítica”, acrescenta a empresa.

Quem arrematou a Ceal no leilão na tarde desta sexta foi a Equatorial Energia, que já havia vencido o certame da Cepisa, distribuidora da Eletrobras no Piauí.

Única proponente do certame, a Equatorial ofertou um Índice Combinado de Deságio na Flexibilização Tarifária e Outorga igual a zero. Com isso, a empresa não abriu mão de qualquer flexibilização em nível de perdas ou custos operacionais ofertados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), nem ofereceu pagamento de outorga à União.



Veja também
+ Até 2019, havia mais gente nas prisões do que na bolsa de valores do Brasil
+ Geisy reclama de censura em rede social: “O Instagram tá me perseguindo”
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Nicole Bahls já havia sido alertada sobre infidelidade do ex-marido
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago