Economia

Caso Stone abre dúvida sobre crédito em fintechs

Crédito: Reprodução/Facebook Stone

Brasileira Stone, que interrompeu as concessões após um salto na inadimplência, não conseguir transmitir com clareza quando vai voltar a emprestar dinheiro (Crédito: Reprodução/Facebook Stone )

A quebra da fintech inglesa de crédito Greensill, no começo do ano, ligou o primeiro alerta sobre os modelos de concessão de empréstimos de empresas financeiras não ligadas a bancos. Nas últimas semanas, esse temor voltou a rondar investidores após a brasileira Stone, que interrompeu as concessões após um salto na inadimplência, não conseguir transmitir com clareza quando vai voltar a emprestar dinheiro.



Mas isso pode representar um risco sistêmico? Para os analistas, não. No entanto, a Stone, que viu suas ações caírem 80% este ano, está concentrada justamente no segmento considerado mais delicado: as linhas de empréstimos garantidas por previsões de vendas futuras pelos lojistas, que possuem chance importante de não se confirmarem – ainda mais em um cenário de economia fraca no Brasil (leia mais abaixo).

Cenário internacional potencializa risco para o País

Para analistas, uma questão que alivia a tensão no mercado é que, apesar do crescimento recente, a fatia do crédito concentrada nas mãos das fintechs ainda é pequena. Só o Bradesco liberou R$ 30 bilhões por canais digitais até setembro – mais do que todas as fintechs juntas. Não há estatística oficial, mas as estimativas do setor são de que as fintechs de crédito vão liberar de R$ 40 bilhões a R$ 50 bilhões em 2021.

Entidades que representam fintechs afirmam que o segmento têm modelos sólidos para evitar inadimplência. “As fintechs atuam em nichos mal servidos pelos bancos”, explica o presidente da Associação Brasileira de Crédito Digital (ABCD), Sandro Reiss, frisando que os índices de calotes são muito parecidos ou iguais aos dos grandes bancos.

+ O economista Paulo Gala revela os caminhos para investir bem em 2022



O Nubank, que atraiu milhões de clientes antes “sem banco”, fechou setembro com taxa de inadimplência de 3,3%, considerando atrasos acima de 90 dias no cartão de crédito, abaixo da média nacional para a modalidade, de 4,8%.

E as mudanças regulatórias, como o open banking e o cadastro positivo, podem reduzir a desvantagem de informação dos novos players ante os bancos, avalia Carlos Macedo, analista associado à Ohmresearch. “Quanto mais informação, melhor. Assim tanto o banco quanto a fintech vão poder diferenciar bons e maus pagadores.”

Para Silvio Marote, sócio da Bain & Company, a diferença do acesso a dados vai ficar menor. “Você está dando informações a mais participantes do mercado”, ressalta. E, no caso do crédito, quanto mais dados, menor o risco.

QUANTIDADE. A proliferação de fintechs de crédito é uma realidade no Brasil, mas vem acontecendo em ritmo mais acelerado em outros países, como a China. O diretor executivo de serviços financeiros da Accenture, Maurício Barbosa, observa que a oferta de crédito na Ásia atraiu até gigantes do varejo, como o Alibaba. “Vamos ver cada vez mais outros segmentos colocando as ofertas de empréstimo”, ressalta. Para ele, o aumento de instituições não necessariamente causaria um efeito de aumento de inadimplência. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.


Saiba mais
+ SP: Homem morre em pé, encostado em carro, e cena assusta moradores no litoral
+ Um gêmeo se tornou vegano, o outro comeu carne. Confira o resultado
+ Reencarnação na história: uma crença antiquíssima
+ Andressa Urach pede dinheiro na internet: ‘Me ajudem a pagar a fatura do meu cartão’
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ O que se sabe sobre a flurona?
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ IPVA 2022 SP: veja como consultar e pagar o imposto

Tópicos

ABCD antecipação de recebíveis itaú antecipação de recebíveis pagseguro antecipação de recebíveis santander antecipação de recebíveis: o que significa Associação Brasileira de Crédito Digital Banco Central Como conseguir crédito com CNPJ? Como conseguir crédito para uma micro empresa? Como consultar o CPF no Banco Central? Como fazer o empréstimo do governo para pequenas empresas? Como funciona a antecipação de recebíveis? Como funciona desconto de recebíveis? Como funciona linha de crédito para empresas? Como reclamar de bancos no Banco Central? Como saber se o nome está no Banco Central? crédito crédito para empresas crédito para empresas iniciantes Fintech alemã N26 Fintech alemã N26 Inter Fintech alemã N26 Nubank Fintech de crédito fintech serviços Fintech Stone crédito fintech stones recebíveis fintechs governo libera empréstimo para pequenas empresas? governo linhas de crédito para pequenas empresas covid linhas de crédito para empresas linhas de crédito para empresas covid-19 linhas de crédito para pequenas empresas linhas de crédito para pequenas empresas 2021 mercado de fintechs brasil 2021 Nubank cartão O que é crédito para empresas? O que é o registro de recebíveis? O que são os recebíveis? oq eu é fintech Portaria Crédito Portaria Crédito Banco Central Quais as linhas de crédito para empresas? Qual a definição de micro e pequena empresa? Qual é o 0800 do Banco Central? Qual o melhor empréstimo para micro empresa? quebra da fintech inglesa de crédito Greensill recebíveis recebíveis imobiliários Stone tipos de recebíveis venda de recebíveis