Edição nº 1142 14.10 Ver ediçõs anteriores

Cartão de embarque

Presente nos Estados Unidos desde 2016, a brasileira ClearSale, empresa de gestão de fraudes de cartão de crédito no e-commerce, acaba de abrir um escritório no México. Hoje, 3% da da sua receita vêm do exterior, com uma base de 400 clientes, que inclui nomes como Asus e Timex. Para 2018, a projeção é faturar R$ 170 milhões. A ClearSale avalia ainda investir em uma nova operação, na Austrália, em dois anos. E busca um fundo para comprar até 30% da companhia. “Queremos um parceiro que catalise a nossa expansão internacional”, diz Bernardo Lustosa, CEO e cofundador da empresa.

(Nota publicada na Edição 1094 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Bate-papo em ascensão

(Nota publicada na Edição 1142 da Revista Dinheiro)

“South Park” banido na China

Em sua 23a temporada, a série animada “South Park” centrada em quatro crianças e que satiriza a sociedade contemporânea – a americana [...]

Deepfake, mas pode chamar de pornfake

Segundo reportagem da CNN, cerca de 96% dos deepfakes – vídeos com alto poder de manipulação de imagem e/ou som de pessoas a partir de outros vídeos – consistem em conteúdo pornográfico. Os especialistas da Deeptrace, empresa especializada em segurança cibernética, encontraram pelo menos 14 mil deepfakes vídeos on-line em uma pesquisa recente, aumento de […]

Um bilionário envergonhado. Isso sim é unicórnio

Dois dos principais investimentos do SoftBank, Uber e WeWork, têm se mostrado decepcionantes. As ações da Uber caíram mais de 30% desde [...]

0,83 segundo

Tempo que levará para carregar o distrito de Manhattannum game do Homem Aranha rodando no PlayStation 5 contra 8,3 segundos do PS4. O [...]
Ver mais