Giro

Carros usados valorizam mais que o zero km; veja as marcas que ficaram mais caras

Crédito: Reprodução/Divulgação

No mês passado, os modelos fabricados até 2018 subiram 0,92% em relação a julho. Já os carros produzidos até 2011 ficaram 1,46% mais caros. (Crédito: Reprodução/Divulgação)

Os carros seminovos e usados subiram mais de preço do que os zero-quilômetro em agosto, segundo o Monitor de Variação de Preços da KBB Brasil. No mês passado, os modelos fabricados até 2018 subiram 0,92% em relação a julho. Já os carros produzidos até 2011 ficaram 1,46% mais caros. Enquanto isso, os modelos novos tiveram os preços ajustados em 0,23%. Entenda quais foram as marcas, modelos e segmentos com maior alteração.

+ Youtuber Pedro Rezende, 24 anos, já gastou mais de R$ 7 milhões com carros

Dentre os carros novos, os considerados ano-modelo 2021 subiram apenas 0,23%, enquanto os mais novos, 2022, foram reajustados em 0,94%. Na divisão por marcas de carros novos, Jeep (1,24%), Fiat (1,23%), Volkswagen (0,9%) e Renault (0,78%) foram as campeãs do aumento de preços em agosto. Por outro lado, Hyundai, Chevrolet, Nissan, Citroën, Mercedes-Benz, Audi, Volvo, Ram e Land Rover mantiveram seus carros zero-quilômetro com os mesmos valores praticados no mês anterior.

Dentre os modelos novos, a picape Renault Duster Oroch foi a que teve maior acréscimo, custando 2,03% a mais do que em julho. Renault Kwid e Volkswagen Gol subiram na mesma proporção: 1,8%. Enquanto isso, o Fiat Argo ficou 1,77% mais caro no mês de agosto.



Quando o assunto é categoria, as picapes estão no topo da valorização. As novas ficaram 0,81% mais caras, enquanto as seminovas, fabricadas até 2018, passaram a custar 2,93% a mais. Mas foram as usadas, produzidas até 2011, que subiram mais: média de 3,58%. O mês foi interessante para quem comprou minivans seminovas e usadas, que tiveram uma redução de preços de 0,83% e 0,78%, respectivamente. As minivans zero-quilômetro ficaram apenas 0,27% mais caras.

No segmento mais desejado do momento, o de SUVs, as alterações de preço foram mais “equilibradas”. Entre os “zero”, o aumento foi de 0,47%. Para os seminovos, reajuste positivo de 0,84%. Os usados ficaram 1,44% mais caros no último mês.

Veja também
+ Como podcasts podem ajudar na educação financeira do brasileiro
+ Mistério: mulher descobre que não é a mãe biológica de seus próprios filhos
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Veja quanto custa comer nos restaurantes dos jurados do MasterChef
+ Leilão de carros e motos tem desde Kombi a Nissan Frontier 0km