Negócios

Carros elétricos representarão 57% do mercado em 2040, projeta Bloomberg

Estudo prevê mercado de 56 milhões de unidades em 2040 contra 2 milhões em 2018

Carros elétricos representarão 57% do mercado em 2040, projeta Bloomberg

De acordo com o BNEF, os carros elétricos ultrapassarão 56 milhões de unidades em 2040, contra 2 milhões em 2018

Em pouco mais de duas décadas, os veículos elétricos representarão 57% das vendas em todo o mundo, projeta um relatório da Bloomberg New Energy Finance (BNEF), divulgado nesta semana com projeção para 2040. O índice é ligeiramente maior aos 55% de comércio previsto pelo mesmo estudo lançado no ano passado. Segundo os analistas, os mercados dos Estados Unidos, Europa e da China serão os principais impulsionadores dessa transformação.

De acordo com o BNEF, os modelos elétricos ultrapassarão 56 milhões de unidades em 2040, contra 2 milhões em 2018. Em paralelo, o mercado tradicional deve encolher de 85 milhões de unidades no ano passado para 42 milhões no mesmo período. O relatório aponta o aumento dos investimentos em produção e pesquisas para o setor elétrico e o reflexo que isso terá na redução de custo dos modelos.

A preocupação com o meio ambiente é crescente entre as montadoras, seja pelo intuito genuíno de preservação dos recursos naturais ou uma estratégia de marketing para converter uma sociedade cada mais conscientes com questões ambientais. Independente da razão, diversas empresas anunciaram lançamentos de veículos elétricos e o crescente aporte de investimentos no setor.

A Mercedes-Benz anunciou nesta segunda-feira (13) que não produzirá mais automóveis exclusivamente movidos a combustíveis poluentes, como gasolina e diesel, a partir de 2039. Em um comunicado definido como uma “transformação fundamental”, a montadora alemã afirmou que tornará sua frota totalmente neutra de carbono com investimentos em modelos elétricos ou híbridos.

Em março, a Volkswagen afirmou que lançará mais de 70 modelos elétricos até 2022, com investimento previsto de US$ 49 bilhões. A empresa pretende produzir 22 milhões de veículos movidos a bateria nos próximos 10 anos, em comparação com uma meta anterior de 15 milhões.

A China continuará liderando as vendas de carros elétricos, mas a participação país cairá à medida que os modelos se popularizarem em outros centros. O gigante asiático deve representar 48% de todos os carros elétricos vendidos em 2025, mas apenas 26% em 2040. Enquanto isso, a Europa sairá à frente dos EUA no mercado de carros elétricos durante os anos 2020, prevê a BNEF.