Política

Carla Zambelli nega que soube antecipadamente de operação da PF contra Witzel

A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) negou nesta terça-feira, 26, em entrevista à CNN Brasil, que tenha sabido antecipadamente da operação Placebo, deflagrada nesta manhã em endereços do governador do Rio, Wilson Witzel (PSC).

A suspeita de que a aliada do presidente Jair Bolsonaro tivesse acesso a informações privilegiadas foi amplamente repercutida por parlamentares devido à declaração de Carla à Rádio Gaúcha, na segunda-feira, sobre como a PF estava investigando irregularidades cometidas por governadores durante a pandemia e faria operações “nos próximos meses”.

“Eu não sou uma pessoa burra. Se eu tivesse informação privilegiada, eu falaria isso publicamente?”, questionou a deputada na entrevista à CNN. Na mesma linha, apontou, em tom de indagação: “se há algum tipo de interferência (de Bolsonaro na operação de hoje), o presidente também está agindo em cima do STJ?”

Ainda segundo Carla Zambelli, a deflagração da operação Placebo menos de 24h depois das suas declarações à Rádio Gaúcha foi “uma feliz coincidência” que ela espera que se repita em outros Estados.

Veja também

+ Funcionário do Burger King é morto por causa de demora em pedido

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Bolsonaro veta indenização a profissionais de saúde incapacitados pela covid-19

+ Nascidos em maio recebem a 4ª parcela do auxílio na quarta-feira (05)

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?