Economia

Canal do Panamá bate recorde de tonelagem apesar de guerra comercial EUA-China

Canal do Panamá bate recorde de tonelagem apesar de guerra comercial EUA-China

(Agosto) Operário participa de obras de manutenção no Canal do Panamá - AFP

O Canal do Panamá bateu seu recorde de tonelagem durante o ano fiscal de 2019, com a passagem de 469 milhões de toneladas por suas águas, apesar da guerra comercial entre Estados Unidos e China, seus dois principais usuários.

De 1 de outubro de 2018 a 30 de setembro de 2019, “469 milhões de toneladas” cruzaram a rota panamenha, o que representa um “recorde de tonelagem”, afirmou nesta quarta-feira a Autoridade do Canal do Panamá (ACP).

A cifra representa um aumento em relação ao ano anterior, quando 442 milhões de toneladas passaram por ali, e excede as estimativas iniciais, que calculavam a carga que passaria pelo canal neste ano fiscal recentemente concluído em 450 milhões de toneladas.

Esses resultados foram registrados apesar da disputa comercial entre os Estados Unidos e a China, os dois principais usuários da rota interoceânica – pela qual se estima que circulem 5% do comércio marítimo mundial.

Em agosto, o então administrador do Canal, Jorge Quijano, havia avisado que a via panamenha havia parado de receber cerca de US$ 30 milhões este ano devido ao confronto entre Washington e Pequim.