Geral

Campanha da Adidas gera polêmica ao divulgar termos ofensivos

Ferramenta que permitia personalização de camisetas foi hackeda e virou foco de mensagens com teores abusivos

Campanha da Adidas gera polêmica ao divulgar termos ofensivos

A Adidas lançou nesta segunda-feira (2) um link para que o público personalizasse a camiseta

Uma campanha da Adidas no Twitter para a divulgação do novo uniforme do Arsenal e que incentivava a interação dos usuários acabou se transformando em um foco de mensagens com teores abusivos. A marca esportiva lançou nesta segunda-feira (2) um link para que o público personalizasse a camiseta, porém o sistema foi hackeado e dezenas de termos racistas, anti-semitas e xenófobos foram publicados pela sua conta oficial.

Foram citados ainda o desastre de Hillsborough, quando 96 torcedores morreram durante uma partida de futebol na Inglaterra, em 1989, e o desaparecimento de Madeleine McCann, em 2007.

Os tweets ofensivos foram apagados e diversos usuários tiveram suas contas suspensas. Em entrevista à CNN, um porta-voz da Adidas afirmou que “devido a uma pequena minoria que criaram versões ofensivas, desativamos imediatamente a funcionalidade e a equipe do Twitter irá investigar”.

Marcas já enfrentaram problemas com invasão de contas para divulgação de mensagens ofensivas antes. Em 2014, o time da NFL New England Patriots também lançou uma campanha para personalização de camisetas que acabou gerando polêmica quando usuários escreveram termos racistas.