Negócios

Caminhões autônomos começam a operar em mina da Vale

Crédito:  Daniel Mansur /VALE

Uma iniciativa que custou US$ 62 milhões e seis anos de desenvolvimento, pesquisas e testes começa a ser colocada em prática. O sistema de caminhão autônomo guiado a distância, criado pela Vale começou a operar na mina de Brucutu, em Minas Gerais. Em um mês de uso aumentou em 26% o volume de minério de ferro transportador no local.

Desenvolvido em conjunto com a Caterpillar, montadora do veículo, a tecnologia identifica mudanças, obstáculos não previstos e tem sistema que paralisa o caminhão até que a via seja desobstruída. O foco na segurança faz com que o sistema identifique desde grandes rochas até pessoas em seu caminho ou nas imediações da via, para evitar acidentes com a máquina de 13 metros de comprimento e 240 toneladas.

Com a capacidade de armazenar e interpretar dados, a operação traz um aumento de 15% na vida útil dos caminhões, que pode reduzir o investimento em para novas unidades. A quantidade movimentada passou de 853 para 866 toneladas por hora, enquanto a velocidade médio foi de 22,9km/h para 23,9km/h. Já a previsão de consumo de combustível é de redução de até 10%, enquanto os pneus sofreram 25% a menos de desgaste.

Com os resultados positivos, a Vale espera expandir o projeto até 2019. Atualmente são sete caminhões em funcionamento, com mais seis a caminho. Para comandar a operação, a empresa realocou antigos operadores para os centros de controle remoto.