Giro

Cabo de fibra óptica marinho do Google pode alertar para tsunami

Crédito: Reprodução/Google

Cabo submarino de fibra ótica ‘Curie’ do Google, conectando a Califórnia ao Chile, torna-se um sensor sísmico para tsunamis. Isso é demonstrado pelo estudo publicado na revista Science por pesquisadores do California Institute of Technology (Caltech).

Inaugurado em 2019 e com aproximadamente 10 mil quilômetros de extensão, o cabo Curie conecta a cidade de Los Angeles ao centro chileno de Valparaíso, a uma profundidade de 4 a 6 quilômetros.

+ Inundável, Miami anuncia plano para enfrentar aumento do nível do mar

Os cabos de fibra óptica submarinos, a espinha dorsal da Internet, são sensíveis às mudanças de temperatura e pressão das ondas. Ao monitorar a transmissão de dados, é possível associar qualquer alteração térmica ou de pressão a um evento externo, devido à atividade sísmica no fundo do mar ou ao movimento das ondas na superfície.

A técnica baseia-se no fato de que os terremotos e a pressão das ondas induzem uma diferença na trajetória da luz na fibra óptica de menos de um décimo milésimo de milímetro, e na medição precisa dessa minúscula diferença.

Adotando essa estratégia, os autores do estudo, durante um monitoramento de nove meses no cabo Curie entre a Califórnia e o Chile, registraram cerca de trinta tsunamis e cerca de vinte terremotos, como o que atingiu o México em junho de 2020. Desta forma, a rede de fibra ótica dos oceanos, na qual muitos dos dados do planeta viajam, pode se tornar um sistema útil para monitoramento e detecção contínua e em tempo real de terremotos e tsunamis marinhos.

Veja também

+ Carreira da Década - Veja como ingressar na carreira que faltam profissionais, mas sobram vagas
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel