Geral

Butantan inicia produção da Butanvac com 18 milhões de doses até junho

Crédito: Governo do Estado de São Paulo

A Butanvac será a primeira vacina contra a covid-19 feita inteiramente no Brasil (Crédito: Governo do Estado de São Paulo)

O governo de São Paulo anunciou nesta quarta-feira (28) que o Instituto Butantan vai iniciar a produção da Butanvac, primeira vacina contra a covid-19 feita inteiramente no Brasil. Ainda sem liberação da Anvisa, a previsão do Instituto é entregar 18 milhões de doses até meados de junho.

Segundo o presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas, 1 milhão de doses já estão em produção neste momento. A projeção é de até o final do segundo semestre, 100 milhões de doses sejam entregues e liberadas para aplicação.

+ Fase emergencial vai durar mais uma semana, com comércio ampliado
+ Guedes reafirma que foi ‘infeliz’ em comentário sobre China e que tomou Coronavac

A candidata a vacina foi testada apenas em animais e em laboratório. Esta é a chamada fase pré-clínica. Agora, o Instituto aguarda liberação da Anvisa para iniciar os testes em humanos, pedido que está parado por falta de documentos.



A 1° fase da produção teve início hoje (28) e vai durar até o dia 18/05, com 6 lotes totalizando 6 milhões de doses. A 2° fase vai do dia 14/05 a 01/06, com novos 6 lotes e a 3° fase vai do dia 28/05 a 15/06, com mais 6 lotes. Ao final da primeira leva de produção, 18 milhões de doses serão distribuídas pelo Butantan.

Segundo o Instituto Butantan, este é o passo a passo de produção da Butanvac
Segundo o Instituto Butantan, este é o passo a passo de produção da Butanvac

Segundo Dimas Covas, 1.800 voluntários devem entrar no radar de testes do Instituto. Caso a vacina obtenha bons resultados na primeira fase com humanos, 9 mil voluntários receberão as doses na segunda fase.

Os imunizantes serão fabricados dentro de ovos de galinha, como ocorre agora com a vacina da gripe. Serão milhões de ovos embrionados, aqueles com embriões ainda vivos, que receberão outro vírus com informação genética da covid-19, o Sars-CoV-2. Trata-se, portanto, de uma vacina feita com fragmentos de vírus mortos, inofensivo para os humanos, e que pode gerar resposta imunológica.

Veja também
+ Até 2019, havia mais gente nas prisões do que na bolsa de valores do Brasil
+ Geisy reclama de censura em rede social: “O Instagram tá me perseguindo”
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Nicole Bahls já havia sido alertada sobre infidelidade do ex-marido
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago