Giro

Butantan estuda aplicação de terceira dose da Coronavac

Crédito: Governo de SP/Divulgação

A Coronavac é a principal vacina em distribuição no Brasil neste momento (Crédito: Governo de SP/Divulgação)

O Insitituto Butantan estuda a possibilidade de aplicar uma terceira dose da Coronavac nos brasileiros. A medida, dizem as autoridades, pode aumentar a eficácia do imunizante e ampliar a geração de anticorpos nas pessoas.

Segundo o diretor médico de pesquisa clínica do Instituto Butantan, Ricardo Palacios, alguns estudos estão em andamento e podem traçar uma nova estratégia de imunização nos próximos meses.



+ ECMO auxilia pacientes graves com covid-19
+ Regeneron e Roche anunciam novos testes promissores de coquetel anticovid
+ China considera misturar vacinas contra Covid para aumentar eficácia

“Existem grandes preocupações sobre como melhorar a duração da resposta imune, e uma das alternativas que tem sido considerada é uma dose de reforço, seja com a própria Coronavac, seja com outros imunizantes”, disse Palacios em entrevista à CNN neste domingo (11).

Uma das possibilidades estudadas é complementar a coronavac com alguma outra vacina. O Instituto trabalha internamente no desenvolvimento de um imunizante contra a covid-19, a chamada ButanVac, que ainda está em fase de desenvolvimento e aguarda aprovação da Anvisa para ser testada em humanos.

+ Confira 10 receitas para reaproveitar ou turbinar o arroz do dia a dia


Palacios comentou que a combinação das vacinas pode melhorar a duração da resposta imune e servir como um reforço adicional.

Além disso, a indicação do Instituto agora é de aumentar o período de aplicação de 14 dias para 28 dias entre a primeira e a segunda dose. Isso, explicou o diretor do Butantan, pode ampliar a eficácia da vacina.