Economia

British Steel pede falência e coloca 25 mil empregos em risco por efeitos do Brexit

A empresa vem sofrendo com dificuldades econômicas desde a aprovação do Brexit, que fez com que pedidos do resto da União Européia fossem cancelados

British Steel pede falência e coloca 25 mil empregos em risco por efeitos do Brexit

A British Steel é atualmente a segunda maior produtora de aço do Reino Unido e por conta do Brexit e seus efeitos na econômia dos países das ilhas britânicas, pediu falência e colocou em risco o emprego de 5 mil funcionários diretos e 20 mil fornecedores. A empresa vem sofrendo com dificuldades econômicas desde a aprovação do Brexit, que fez com que pedidos do resto da União Européia fossem cancelados, causando um rombo nas contas de US$ 95 milhões. A British Steel chegou a pedir um empréstimo do governo, que foi negado.

A empresa foi comprada em 2016 pela firma de investimentos Greybull Capital, controlada pela indiana Tata Steel por apenas uma libra. A British Steel já havia conseguido um empréstimo do governo de US$ 152 milhões. O intuito das autoridades britânicas agora é procurar um novo dono para a empresa, e exigiu que ela continuasse suas atividades enquanto procuram um novo controlador. Já o sindicato geral dos trabalhadores do Reino Unido afirmou que o governo deve buscar todas as opções, inclusive renacionalizar a empresa.

Nos últimos anos, empresas produtoras de aço da Europa vem enfrentando grandes dificuldades devido a concorrência chinesa e seus produtos mais baratos. Desde 2017, a comissão européia vem praticando ações antidumping para aumentar a competitividade do produto no mercado mundial. As tarifas impostas por Trump ao aço estrangeiro nos Estados Unidos foi outro fator que dificultou a situação dos produtores de aço de Europa e Reino Unido.