Giro

Brasil registra 1.264 mortes por coronavírus em 24h; total vai a 63.254

O Brasil registrou pelo quarto dia consecutivo mais de mil mortes por covid-19 em 24 horas. Foram 1.264 mortes registradas de ontem para hoje, elevando o total de vidas perdidas para 63.254 no País, segundo dados do levantamento realizado pelo Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL junto às secretarias estaduais de Saúde.

Por três dias seguidos, o País contabilizou mais de 40 mil novos casos confirmados da doença no período de 24 horas: foram 41.988 de ontem para hoje e agora já são 1.543.341 pessoas contaminadas.

O Brasil é o segundo do mundo com maior número de casos e mortes devido ao vírus, atrás apenas dos Estados Unidos, que possuem cerca de 2,7 milhões de infecções confirmadas e 129 mil óbitos, de acordo com a Universidade Johns Hopkins.

Mesmo com a pandemia atingindo o pico no Brasil, com mais de 90% dos municípios do país afetados pela doença, muitos Estados e cidades avançam com as reaberturas econômicas e flexibilização das quarentenas – incluindo os dois Estados com maior número de casos e mortes, São Paulo e Rio de Janeiro.

São Paulo atingiu nesta sexta 310.517 casos e 15.694 mortes em decorrência do coronavírus. O governo paulista estima que o Estado possa ter, em 15 de julho, até 23 mil mortes e 470 mil casos da doença. Em meio às reaberturas, o governo estadual anunciou nesta sexta-feira que a capital paulista provavelmente poderá retomar atividades culturais e eventos com público sentado, como cinemas e teatros, ainda neste mês.

No Rio de Janeiro, os casos atingiram 118.956 e as mortes foram a 10.500. A capital fluminense promoveu na quinta-feira uma nova etapa do processo de reabertura, liberando academias, bares e restaurantes – o que gerou cenas de aglomeração pela cidade. Ceará (118.311 casos e 3.373 mortes) e Pará (112.531 infecções, 5.069 óbitos) completam o grupo de Estados brasileiros que ultrapassaram a marca de 100 mil casos.

Divulgação de dados

O balanço de óbitos e casos é resultado da parceria entre jornalistas dos seis meios de comunicação, que uniram forças para coletar junto às secretarias estaduais de Saúde e divulgar os números totais de mortos e contaminados. A iniciativa inédita é uma resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia.

Mesmo com o recuo do Ministério da Saúde, que voltou a divulgar o consolidado de casos e mortes, o consórcio dos veículos de imprensa continua com o objetivo de informar os brasileiros sobre a evolução da covid-19 no País, cumprindo o papel de dar transparência aos dados públicos.

O órgão informou, no início da noite desta sexta-feira, que o Brasil contabilizou 1.290 óbitos e mais 42.223 pessoas infectadas pelo novo coronavírus. Com isso, segundo o Ministério da Saúde, no total são 1.539.081 casos confirmados e 63.174 mortes causadas pelo coronavírus. O número é diferente do compilado pelo consórcio de veículos de imprensa principalmente por causa do horário de coleta dos dados.

Veja também

+ Caixa libera FGTS emergencial para nascidos em julho nesta segunda-feira (10)

+ Avaliação: Chevrolet S10 2021 evoluiu mais do que parece

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Carol Nakamura anuncia terceira prótese: ‘Senti falta de seios maiores’

+ Ex-Ken humano, Jéssica Alves exibe visual e web critica: ‘Tá deformada’

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?