Semana

Brasil não é mais a sétima economia do mundo

Brasil não é mais a sétima economia do mundo

Retração

A participação do Brasil na economia global caiu ao seu menor nível em 38 anos segundo dados divulgados na sexta-feira 19 pelo FMI (Fundo Monetário Internacional). 2018 marcou o sétimo ano consecutivo de perda de participação na economia mundial. Em 1980, o País tinha 4,4% da produção de bens e serviços. Hoje, tem apenas 2,5%. Com isso, o Brasil perde o posto de sétima economia mundial para a Indonésia. Muitas nações em desenvolvimento sofreram com a crise mundial, mas o País vai pior que todas elas. Entre os nossos vizinhos, Colômbia, Chile, Peru, Uruguai e Paraguai conseguiram manter participação estável no PIB mundial. Indonésia, Filipinas, Malásia, Vietnã e Turquia aumentaram o índice no mesmo período. O desequilíbrio fiscal é a principal causa da estagnação econômica, razão pela qual a reforma da Previdência se torna cada vez mais urgente e necessária.

 

Curtas

1 – Em parceria com empresas de táxi locais, a Sony lançou uma rival do Uber no Japão. Chamada S. Ride, a nova companhia já estreia com 50.000 veículos cadastrados no aplicativo.

2 – Os investidores do mercado de maconha estão de olho no Brasil. Em 2018, a Anvisa autorizou 2.371 novos pedidos para importação do Canabidiol e revalidou 1.242 solicitações anteriores. O Canabidiol é um medicamento legal que usa os princípios ativos da Cannabis sativa para combater a epilepsia e a fibriomialgia.

3 – A empresa chinesa de tecnologia Huawei cresceu 39% no primeiro trimestre de 2019 em relação ao mesmo período no ano passado. A Huawei registrou lucro de US$ 8,8 bilhões em 2018 e, até agora, já exportou 59 milhões de smartphones em 2019.

 

Alimentação

Kraft Heinz troca presidente brasileiro por português

Depois de registrar prejuízo de US$ 10,3 bilhões em 2018, a empresa de alimentos Kraft Heinz anunciou na segunda 22 a troca do seu presidente. Sai o brasileiro Bernardo Hees e entra o português Miguel Patrício. Ambos são executivos de carreira nas empresas do fundo 3G, dos brasileiros Jorge Paulo Lemann, Beto Sicupira e Marcel Telles, que controla a Krat Heinz. Hees passou pelo Burger King, nos EUA, e pela América Latina Logística (ALL), sempre com foco no corte de custos e no aumento da eficiência. Patrício comandou o marketing internacional da cervejaria ABInBev, uma das estrelas do 3G. Ele assume em julho com o objetivo de reforçar as marcas tradicionais da empresa de alimentos, como o katchup Heinz, o queijo fundido Philadelphia e os produtos Planters derivados de amendoim.

 

O que o pré-sal pode fazer pelo Brasil

Os maiores produtores de petróleo do mundo (em barris) e o que acontecerá quando os novos campos no país forem explorados em sua totalidade:

 

Greve

Caminhoneiros pisam no freio e desistem de paralisação

Terminou com relativo sucesso, na segunda 22, a reunião entre o ministro da Infraestrutura Tarcísio de Freitas e 11 entidades sindicais dos caminhoneiros autônomos. O governo reiterou a política do frente mínimo e se comprometeu a punir as empresas que descumprirem a regra. Desde terça 23, os caminhoneiros podem denunciar empresários que ignorarem a tabela. Criada depois da greve de 2018, a política estabelece que o valor do frete deve subir sempre que o aumento do diesel for superior a 10%, determinação descumprida pelos contratantes das cargas, segundo os caminhoneiros.

 

Charge da semana

 

Bônus milionários

Neta de Roy Disney acha imoral salário de CEO da Disney

Abigail Disney, sobrinha-neta de Walt e neta de Roy, os dois fundadores da Disney em 1923, disse que considera imoral o salário de Bob Iger, CEO da empresa: US$ 65,6 milhões ao ano, 1400 vezes mais que o contracheque de um funcionário médio da companhia. Abigail faz parte do grupo “Milionários Patriotas”, que defende impostos progressivos para grandes fortunas e combate a influência das grandes corporações na política.“Gosto de Bob Iger”, disse ela. “Mas em vez de subir o próprio bônus, ele poderia ter aumentado o salário de todos os funcionários da Disneyland em 15%, por exemplo”. A The Walt Disney Company é o maior conglomerado de entretenimento do planeta com valor estimado em US$ 154,5 bilhões.

 

Números

R$ 972 bilhões – É a estimativa de diminuição de custos (em 10 anos) se a Reforma da Previdência passar relata o Instituto Financeiro Independente (IFI) do Senado. O valor contradiz a conta de R$ 1 trilhão do ministro Paulo Guedes, pois considera o impacto das alíquotas progressivas na arrecadação do I.R.

R$ 15, 5 milhões – Foram armazenados no “bunker da propina” da empreiteira Odebrecht na avenida Faria Lima, em São Paulo. O esquema envolvia a troca de reais por dólares (em contas no exterior) com os varejistas da 25 de Março, rua de comércio popular na cidade. O dinheiro vivo “comprado” era então repassado a políticos.

29,1% – Foi o aumento registrado no número de passageiros internacionais no Salvador Bahia Airport no primeiro tri de 2019 em relação a 2018. O incremento se deve à conexão direta entre Salvador, Ilha do Sal e Cidade do Panamá, além da maior frequência de voos para Buenos Aires. O Carnaval ajudou:o aeroporto teve 178 voos extras.

US$ 787 milhões – É a receita obtida pelo Twitter com anúncios no primeiro quadrimestre, um crescimento de 18% em relação ao mesmo período de 2018. O microblog tem agora 134 milhões de usuários diários ativos, superando a previsão de 128,4 milhões.

1,71% – É a estimativa de crescimento do PIB brasileiro em 2019 segundo estimativas no mercado. É a oitava vez consecutiva que o número é avaliado para baixo. Em janeiro, as previsões eram de um crescimento de 2,6%. Caso o índice se confirme, 2019 será outro ano perdido para o Brasil