Economia

Brasil está ‘bem atrasado’ nas possibilidades de comércio com a Índia, diz Guedes

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta quarta-feira, 13, que o Brasil está “bem atrasado” nas possibilidades de comércio com a Índia. Segundo ele, o fluxo comercial brasileiro com o país gira em torno de US$ 3 bilhões e US$ 4 bilhões, o que “é muito pouco”.

“É o que era com a China 20 anos atrás. Estamos conversando sobre isso, (sobre) como aumentar este fluxo de comércio”, afirmou Guedes. “A maior possibilidade de integração de comércio agora é com a Índia.”

O ministro também qualificou como “especial” o fato de a China e a Índia serem, atualmente, os países indutores do crescimento global. Ao mesmo tempo, ele lembrou que o Brasil ficou “isolado por 40 anos”, o que prejudicou o País.

“Estamos agora em uma estrada para a prosperidade”, disse Guedes no início de sua fala em evento em Brasília. “A globalização nos últimos 20 ou 30 anos tem sido um fenômeno grandioso. Isso explica a maioria das incertezas e também da prosperidade”, defendeu.

Guedes afirmou que a indução do crescimento global pela China e pela Índia faz com que haja uma mudança do “mundo ocidental” para o “mundo oriental”. “Um dia, essas economias já foram fechadas, e agora elas estão se abrindo para o mundo, aumentando o padrão de vida de forma fantástica. O PIB da China cresceu muito. Há 20 anos, o PIB do Brasil e da China era quase o mesmo” exemplificou.

Em seu discurso, Guedes também pontuou que a China “não teve medo” de entrar no comércio global. O ministro citou ainda a África que, segundo ele, se transformou em um “continente de esperança” e cresce mais que a América Latina.

Integração global

O ministro da Economia defendeu que um dos erros do Brasil nos últimos anos foi ficar “de costas para a integração global”. Durante evento do Banco dos Brics em Brasília, Guedes afirmou que uma das consequências é a piora do padrão de vida dos brasileiros.

“Nosso padrão de vida está piorando, enquanto o outro lado do mundo sobe”, disse o ministro.

Durante seu discurso, Guedes destacou principalmente o avanço econômico verificado na China e na Índia – dois dos cinco integrantes dos Brics. “Uma das coisas que fazemos errado é ficarmos de costas para a integração global.”

Guedes afirmou que o Brasil quer se integrar com o restante do mundo e citou conversas com a China sobre a possibilidade de uma área de livre comércio. Ao mesmo tempo, ele não descartou acordos com outros países ou blocos. “Se pudermos passar para a área de livre comércio com outras áreas do mundo, também queremos”, afirmou. “Queremos nos integrar. Vamos fazer 40 anos em quatro”, acrescentou.

O ministro participou nesta quarta do seminário “O NDB e o Brasil: Parceira Estratégica para o Desenvolvimento Sustentável”, promovido em Brasília. O evento ocorreu por ocasião da XI Cúpula dos Brics, que reúne os líderes de Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

O Novo Banco de Desenvolvimento (NDB, na sigla em inglês) é também conhecido como o “Banco dos Brics”.

Veja também

+ Sandero deixa VW Polo GTS para trás em comparativo
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Grave acidente do “Cake Boss” é tema de reportagem especial
+ Ivete Sangalo salva menino de afogamento: “Foi tudo muito rápido”
+ Bandidos armados assaltam restaurante na zona norte do RJ
+ Mulher é empurrada para fora de ônibus após cuspir em homem
+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por redução de até 50% na parcela
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA
+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?