Dinheiro em Ação

BR Distribuidora fará IPO de até R$ 7,5 bilhões

BR Distribuidora fará IPO de até R$ 7,5 bilhões

Quem vem lá

A Petrobras pode levantar até R$ 7,5 bilhões com a abertura do capital de sua subsidiária de distribuição de combustíveis. A BR Distribuidora é líder brasileira no setor, com 31,1% do mercado. No fim de 2016, sua rede tinha 8.176 postos. Na B3, ela concorre com as ações de Ultrapar e Cosan. A Oferta Pública Inicial (em inglês Initial Public Offering, ou IPO), prevista para 15 de dezembro, faz parte do plano da estatal para reduzir o endividamento. A oferta será uma distribuição secundária de 291 milhões de ações ordinárias, representando 25% de participação da Petrobras. Essa fatia pode ser elevada a 33,7% se houver demanda. A estimativa é que o preço por ação fique entre R$ 15 e R$ 19. Se forem atingidos o percentual e o preço máximos, a oferta poderá levantar R$ 7,5 bilhões. O IPO deve contribuir para a Petrobras atingir a meta de levantar US$ 21 bilhões com vendas de ativos em 2017 e 2018. O objetivo da estatal é reduzir sua dívida, que estava em R$ 279 bilhões no fim do terceiro trimestre.

 

Quem vem lá

Profarma prepara captação privada

A varejista de medicamentos Profarma, presidida por Sammy Birmarcker, está preparando uma emissão de ações, previsto inicialmente para captar R$ 200 milhões, mas que pode chegar a R$ 350 milhões. Segundo um comunicado da empresa na quarta-feira 21, os recursos serão usados para “a redução da alavancagem e atendimento de futuras demandas de capital da Companhia”. No ano, as ações da empresa apresentam uma queda de 9,4%.

 

Papéis avulsos

O desconto da Gerdau

A Gerdau vem driblando a má fase do setor de siderurgia. No terceiro trimestre, a companhia presidida por André Gerdau lucrou R$ 134,7 milhões, avanço de 46,7% na comparação anual. Além de ter cortado custos, ela é beneficiada por sua participação no mercado externo. O analista Pedro Galdi, da corretora Magliano, sugere a compra do papel, que em sua avaliação está descontado. “Trabalhamos com preço justo de R$ 16, o que representa uma alta potencial de 47%”, diz ele. “A empresa deve melhorar ainda mais o desempenho em 2018 com a recuperação do volume de vendas no mercado doméstico.”

 

Touro x Urso

O governo mostrou que não desistiu de tentar aprovar uma reforma para a Previdência. Na quarta-feira 22, o presidente Michel Temer reuniu mais de 200 deputados no Planalto para defender a aprovação, e essa insistência do Executivo foi bem recebida no mercado. Depois de passar quase todo o mês no território negativo, o Índice Bovespa encerrou a quinta-feira 23 com uma alta de 0,2% no mês. No entanto, altas consistentes vão depender de notícias consistentes.

 

Destaque no pregão

Estreia das units da Sanepar

Na quarta-feira 22, teve início a negociação das units da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) na B3. Negociado como SAPR11, o novo papel agrega quatro ações preferenciais (PN) e uma ordinária (ON). O processo de unificação das ações atendeu a uma demanda do Governo do Estado do Paraná, detentor de 90% dos papéis ordinários da companhia. Para fazer caixa, o governo precisava reduzir sua participação acionária a 60%, e só conseguiria isso elevando a liquidez dos papéis. Para aprovar o lançamento das Units, 40% dos minoritários tiveram de concordar com a mudança. Analistas avaliam que o processo foi peculiar, pois os acionistas minoritários conseguiram importantes demandas, como obter uma cadeira no conselho administrativo e o direito de veto a manipulações políticas no valor da tarifa. Isso elevou a governança da companhia ao nível 2.

Palavra do analista:
Na avaliação de Raphael Figueiredo, da Eleven Financial, a melhora da governança aliada ao aumento da liquidez deve contribuir para que SAPR11 entre no Ibovespa no primeiro trimestre de 2018. Na quinta-feira 23, o papel fechou a R$ 60, alta de 3,3% ante o preço de abertura.

 

Aviação

Embraer convoca operários mais cedo

A Embraer antecipou para dezembro o fim do acordo de afastamento temporário de 1.080 trabalhadores. Firmado em 2016, o chamado lay-off terminaria apenas no fim de 2018. Na prática, somente 350 trabalhadores tiveram seus contratos suspensos. A companhia justificou que tem “necessidade de ter os trabalhadores das respectivas áreas de volta à produção”. No ano, as ações caem 1,2%

 

 

Mercado em números

CEMIG
R$ 4 bilhões – É quanto a estatal elétrica de Minas Gerais renegociou em dívidas de suas subsidiárias Cemig GT e Cemig D. As dívidas, que venciam neste ano, tiveram seus pagamentos postergados para 2019

LOCALIZA
R$ 1,2 bilhão – É quanto a empresa de locação pretende captar por meio de uma emissão de debêntures não conversíveis em ações. Serão emitidas duas séries, com vencimento em 2023 e em 2025

BANRISUL
R$ 30 milhões – É quanto o banco estatal gaúcho vai pagar em juros sobre capital próprio referentes ao quarto trimestre de 2017. Após a retenção do imposto, o valor líquido cairá para R$ 25,5 milhões

CIA. HERING
R$ 41,9 milhões – É quanto a empresa de varejo vai pagar na forma de juros sob o capital próprio, correspondendo a R$ 0,2595 por ação

COSAN LTD.
US$ 200 milhões – É quanto a unidade americana da Cosan vai recomprar em ações ordinárias classe A negociadas nos Estados Unidos. O preço de recompra vai de US$ 9,23 a US$ 9,65 por ação