Giro

Bombeiros confirmam duas mortes no desabamento de prédio em Fortaleza

O Corpo de Bombeiros do Ceará confirma a morte de duas pessoas no desabamento o Edifício Andréa, localizado na Rua Tibúrcio Cavalcante, nº 24, no Bairro Dionísio Torres, em Fortaleza. Odesabamento ocorreu na manhã dessa terça-feira (15)

Um dos mortos foi identificado como: Frederick Santana dos Santos, de 30 anos, cujo corpo foi resgatado no fim da noite de ontem, segundo informações do coronel Luís Eduardo Soares de Holanda, comandante do Corpo de Bombeiros.

Equipes de resgate resgatam uma vítima após um prédio residencial de sete andares desabar em Fortaleza, Brasil, 15 de outubro de 2019. REUTERS / Diario do Nordeste / Jose Eleomar

Equipes de resgate continuam no trabalho de busca pessoas com vida sob os escombros doprédio residencial que desabou em Fortaleza Brasil, 15 de outubro de 2019. REUTERS / Diario do Nordeste / Jose Eleomar – REUTERS / Diario do Nordeste / Jose Eleomar/Direitos Reservados

O coronel disse que Frederick descarregava o caminhão de água no mercado vizinho ao prédio, quando aconteceu o desabamento e foi atingido. Ele teve partes do corpo imprensado nos escombros.

O comandante, que coordena os trabalhos de busca no local do desabamento, informou também que um segundo corpo, de uma mulher, foi localizado entre os escombros esta manhã, mas que ainda não foi possível resgatá-lo por causa das dificuldades de chegar ao local sem provocar desmoronamentos,  prejudicando o trabalho de localização de vítimas ainda vivas.

O comandante do Corpo de Bombeiros disse também que 130 homens da corporação se revezam nas buscas, além do apoio de voluntários. As equipes contam a ajuda de  um drone, com sensor térmico, e cães farejadores, no trabalho de localização de pessoas com vida.O drone sobrevoa os escombros do prédio para identificar áreas de calor, indicando possíveis vítimas.

Nota

O governo do estado Ceará e a prefeitura de Fortaleza divulgaram nota informando que todo o trabalho de resgate às vítimas do desabamento se mantém ininterrupto.

Desde o registro do acidente, o Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, Samu, com médicos reguladores e intervencionistas trabalham com toda a logística de atendimento no local.

A expectativa é que no momento do acidente 18 pessoas estivessem no prédio que desabou e nas imediações. Até agora, foram realizados nove resgates de vítimas com vida.