Geral

Bombeiros buscam 17 pessoas e acreditam que pode haver sobreviventes em Muzema

O Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro informou no fim da manhã deste sábado, 13, que trabalha com a possibilidade de ainda encontrar sobreviventes nos escombros dos dois prédios que desabaram na manhã de sexta-feira, na zona oeste do Rio. A corporação informou que são 17 desaparecidos, número ainda maior do que vinha sendo divulgado.

Apesar de já terem se passado mais de 30 horas do desabamento, os bombeiros acreditam que ainda podem encontrar sobreviventes. “Este cenário (queda de edifício) é muito mais propício a encontrar vida (do que num deslizamento de terra), porque a gente pode trabalhar com células, pequenos habitáculos onde as pessoas podem se manter vivas”, explicou o coronel Luciano Sarmento, que coordena a operação.

Segundo Sarmento, as buscas por sobreviventes irá continuar até o fim da operação. “Temos relatos de pessoas que sobreviveram até sete dias nessas condições. Vamos trabalhar até o fim da operação com essa possibilidade.”

Veja também

+ Funcionário do Burger King é morto por causa de demora em pedido

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Bolsonaro veta indenização a profissionais de saúde incapacitados pela covid-19

+ Nascidos em maio recebem a 4ª parcela do auxílio na quarta-feira (05)

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

Geral

Bombeiros buscam 17 pessoas e acreditam que pode haver sobreviventes em Muzema

O Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro informou no fim da manhã deste sábado, 13, que trabalha com a possibilidade de ainda encontrar sobreviventes nos escombros dos dois prédios que desabaram na manhã de sexta-feira, na zona oeste do Rio. A corporação informou que são 17 desaparecidos, número ainda maior do que vinha sendo divulgado.

Apesar de já terem se passado mais de 30 horas do desabamento, os bombeiros acreditam que ainda podem encontrar sobreviventes. “Este cenário (queda de edifício) é muito mais propício a encontrar vida (do que num deslizamento de terra), porque a gente pode trabalhar com células, pequenos habitáculos onde as pessoas podem se manter vivas”, explicou o coronel Luciano Sarmento, que coordena a operação.

Segundo Sarmento, as buscas por sobreviventes irá continuar até o fim da operação. “Temos relatos de pessoas que sobreviveram até sete dias nessas condições. Vamos trabalhar até o fim da operação com essa possibilidade.”

Veja também

+ Funcionário do Burger King é morto por causa de demora em pedido

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Bolsonaro veta indenização a profissionais de saúde incapacitados pela covid-19

+ Nascidos em maio recebem a 4ª parcela do auxílio na quarta-feira (05)

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.