Giro

Bolsonaro vai ao STF contra lockdown e toque de recolher em estados e cidades

Crédito: Arquivo/Agência Brasil

Jair Bolsonaro, por meio da AGU, questiona "algumas dessas medidas não se compatibilizam com preceitos constitucionais inafastáveis". (Crédito: Arquivo/Agência Brasil)

O presidente da Repúblca, Jair Bolsonaro, decidiu recorrer ao STF (Supremo Tribunal Federal) contra os decretos estaduais e municipais que preveem lockdown e toques de recolher em razão da pandemia da covid-19. O presidente pede que sejam declaradas inconstitucionais as medidas de governadores e prefeitos.

A ADI (Ação Direta de Inconstitucionalidade) foi apresentada pela AGU (Advocacia-Geral da União), entidade que representa juridicamente o presidente e servidores federais. A ação é assinada por Bolsonaro e pelo advogado-geral da União, André Mendonça.



+ Com mais casos e internações, cidades voltam a decretar lockdown no interior

De acordo com a CNN, em nota, a AGU afirma que Bolsonaro não está questionando decisões anteriores do STF, que reconheceu direito de governadores e prefeitos decretarem medidas sanitárias de restrição ao deslocamento, mas sim que “algumas dessas medidas não se compatibilizam com preceitos constitucionais inafastáveis”.

A AGU diz ainda que a intenção da ação é invalidar juridicamente esses decretos, mas, também, que sejam considerados “os devastadores efeitos que medidas extremas e prolongadas trazem para a subsistência das pessoas, para a educação, para as relações familiares e sociais, e para a própria saúde – física e emocional – da população”.

+ Especialista revela o segredo dos bilionários da bolsa. Inscreva-se agora e aprenda!