Política

Bolsonaro responde às críticas e diz que Maia quer briga política

Crédito: Pedro Ladeira

Bolsonaro é contra quarentena no País (Crédito: Pedro Ladeira)


O presidente da República, Jair Bolsonaro, respondeu às criticas do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, sobre sua participação nas manifestações pró-governo do domingo (15), na área externa do Palácio do Planalto. Para Bolsonaro, trata-se de uma briga política.

“A elite política pode reunir 1.300 pessoas, e eu não posso chegar perto de um povo que foi pacificamente para a rua”, questionou Bolsonaro. Segundo ele, em entrevista para a Rádio Bandeirantes, Maia e outros políticos estavam na Oca, no Ibirapuera, no dia 9.

+ Maia e Alcolumbre criticam atitude de Bolsonaro
+ Em entrevista a CNN, Bolsonaro desafia Maia e Alcolumbre a testarem popularidade 

Maia classificou como um “atentando à saúde pública” a participação de Bolsonaro na manifestação de domingo. O presidente da República foi criticado, principalmente, devido à sua viagem aos Estados Unidos cuja. Ao todo, 11 pessoas da comitiva estão contaminadas pelo coronavírus. Bolsonaro fez o primeiro teste e resultado foi negativo.

“Estão querendo achar um responsável pela disseminação do vírus (coronavírus) pelo Brasil e eles posando como heróis, como mártires, que estava presente, dia 9 de março, na Oca, no Ibirapuera, com 1.300 pessoas do lado, podendo não comparecer”, disse Bolsonaro.

No dia 9, a Oca sediou a festa de estreia da CNN Brasil. O evento contou com a presença de nomes conhecidos como o presidente do senado, Davi Alcolumbre, o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, e o presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli.