Giro

Bolsonaro diz que há excesso em culpar guerra na Ucrânia por problemas no Brasil

Bolsonaro diz que há excesso em culpar guerra na Ucrânia por problemas no Brasil

Presidente Jair Bolsonaro



BRASÍLIA (Reuters) -O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira que há exageros em responsabilizar a guerra na Ucrânia pelos problemas econômicos no Brasil, contradizendo o principal argumento do governo ao apresentar uma PEC para reconhecer estado de emergência diante do conflito no leste europeu.

Em conversa com apoiadores, o presidente creditou o impacto econômico às políticas de restrição de circulação para conter as taxas de contaminação da Covid-19 durante a fase mais crítica da pandemia.

“Há um excesso de culpabilidade em cima de um caso de uma guerra”, disse Bolsonaro. “Existem as consequências? Existem. Mas não essa consequência toda. O grande problema nosso aqui foi o ‘fica em casa, a economia a gente vê depois'”, completou.

A alta de preço dos combustíveis em decorrência da guerra na Ucrânia foi um dos principais argumentos do governo para prever, em uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), o reconhecimento de um estado de emergência que abriria brecha jurídica para a concessão de reajustes de benefícios já existentes –caso do Auxílio Brasil e do Auxílio-Gás– e para a criação de outros, voltados a categorias como os taxistas e ainda suplementação de crédito destinado a programa alimentar.




A ideia de estabelecer o estado de emergência provocou críticas. Parlamentares contrários à PEC e a esse dispositivo a acusaram de tratar-se de uma manobra para driblar o teto de gastos e a lei eleitoral, além de identificarem no instrumento supostos objetivos eleitoreiros de Bolsonaro, que tenta a reeleição em outubro.

No mercado também houve reação. As preocupações com o cenário fiscal doméstico estão no radar dos investidores, que apontam o potencial impacto inflacionário de medidas como a PEC dos Benefícios.

O relator da proposta na Câmara, deputado Danilo Forte (União-CE) já sinalizou ter a intenção de tirar do texto da proposta o trecho que reconhece o estado de emergência. O parlamentar estuda alternativas que explorem possibilidades da lei do teto de gastos. As sugestões do deputado são objeto de intensas reuniões na noite desta segunda-feira e das previstas para a terça-feira com lideranças de bancada.


Bolsonaro aproveitou ainda, nesta segunda, para comentar que o governo federal já reduziu ou zerou impostos sobre combustíveis, além de manifestar esperança de que a Petrobras reduza os preços sobre os combustíveis em caso de redução do preço do petróleo Brent.

“Se o Brent continuar caindo, dá para –a Petrobras que decide–, mas já é uma esperança de diminuir também. Mas com transparência”, disse. Nesta segunda, o Brent subiu 1,87 dólar, ou 1,68%, a 113,50 dólares por barril.

A definição do preço dos combustíveis, pela atual política da empresa, leva em conta não apenas o preço do barril, mas também a variação do câmbio, entre outros componentes.

No mês passado, o dólar marcou a maior valorização frente ao real desde março de 2020, diante de temores generalizados com a possibilidade de recessão nas principais economias e também em reação à alta dos juros nos Estado Unidos, em meio às consequências do conflito na Ucrânia.

(Reportagem de Maria Carolina MarcelloReportagem adicional de Isabel VersianiEdição de Pedro Fonseca)

tagreuters.com2022binary_LYNXMPEI630RF-BASEIMAGE






Tópicos

Updated