Finanças

Bolsas na Europa fecham em queda, com tecnologia e incerteza com Brexit

Crédito: Reprodução/Bolsa de Madri

Em Madrid, o Ibex 35 teve queda de 0,52%, aos 8.192,10 pontos (Crédito: Reprodução/Bolsa de Madri)

As bolsas da Europa fecharam em queda nesta terça-feira, 8, influenciadas pela reabertura de Wall Street, marcada por baixas nas empresas de tecnologia. Pesou ainda a indefinição e os riscos para a obtenção de um acordo entre Reino Unido e União Europeia após o Brexit, em um cenário de aversão a riscos, com o conflito comercial sino-americano dando sinais de escalada.

O índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou em baixa de 1,15%, a 363,75 pontos.

Com o retorno do mercado dos Estados Unidos, após a pausa pelo Dia do Trabalho na segunda-feira, as bolsas europeias seguiram a queda guiada pelo setor de tecnologia.

+ Bolsas da Ásia fecham em alta generalizada, apesar de tensões entre EUA e China
+ Otimismo com vacina e estímulos fazem bolsas da Europa fecharem em firmes ganhos 

A holandesa de microchips ASML Holding e a britânica de software Micro Focus International estiveram entre as maiores quedas do dia na Europa, com baixa de 4,43% da Micro Focus, em Londres.

“O setor de tecnologia está sob forte pressão em toda a Europa e nos grandes nomes dos Estados Unidos, que impulsionaram os índices dos EUA de volta, entrando em uma sessão difícil”, indicou Craig Erlam, da Oanda, que vê possibilidade de quedas ainda maiores. O desempenho na última semana do setor de tecnologia dos Estados Unidos foi o pior em cinco meses.

Quanto ao Brexit, começou nesta terça a oitava rodada de negociações, com a informação de que o governo britânico decidiu intensificar seus preparativos para deixar o bloco caso nenhum acordo comercial apresentar progresso nesta semana. Há dúvidas no mercado sobre se esta seria mais uma pressão do primeiro-ministro Boris Johnson para obter mais concessões do continente. A questão levantou ponderações em ambos os lados do Canal da Mancha e se refletiu nas bolsas.

Já o embate sino-americano teve uma nova possível escalada, colaborando para a aversão a riscos. No domingo, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que dissociar as economias das duas maiores potências econômicas do globo não traria prejuízos.

Com isso, o FTSE 100, de Londres, caiu 0,12%, a 5.930,30 pontos, enquanto o DAX, de Frankfurt, baixou 1,01%, a 12.968,33 pontos. Em Paris, o CAC 40, de Paris, cedeu 1,59%, a 4.973,52 pontos.

Em Milão, o FTSE MIB recuou 1,81%, a 19.380,18 pontos.

Em Madri, o IBEX 35 teve baixa de 1,78%, a 6.955,00.

Em Lisboa, o PSI 20 teve queda de 1,10%, a 4.260,88 pontos.

*Com informações Dow Jones Newswires.

Veja também
+ Casamento de Ana Maria Braga chega ao fim após marido maltratar funcionários, diz colunista
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Lázaro Barbosa consegue fugir de novo da polícia após tiroteio
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago