Finanças

Bolsas europeias sobem, em reação a discurso de Trump, balanços e dados

As bolsas europeias fecharam em alta nesta quarta-feira, 01, em grande medida diante da reação positiva ao discurso do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. Na noite de ontem, Trump renovou promessas de gastos em infraestrutura. Além disso, o pregão europeu foi motivado também por alguns balanços e indicadores.

O índice dos gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) da indústria da zona do euro subiu de 55,2 em janeiro para 55,4 em fevereiro, no maior nível em 70 meses. Ainda assim, veio um pouco abaixo da previsão de 55,5 dos analistas. Na Alemanha, o PMI industrial avançou de 56,4 em janeiro para 56,8 em fevereiro, no maior nível em 69 meses, e a taxa de desemprego seguiu em 5,9% em fevereiro, como esperado pelos economistas. O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da Alemanha subiu 2,2% em fevereiro na comparação anual, o maior avanço desde agosto de 2012, ante expectativa de +2,1%.

Na bolsa de Londres, o índice FTSE-100 fechou em alta de 1,64%, para 7.382,90 pontos. A promessa de Trump de investir US$ 1 trilhão em infraestrutura impulsionou ações relacionadas ao setor de construção: Ashtead Group, por exemplo, subiu 5,7%, e CRH, que divulgou balanço, avançou quase 5%. As mineradoras também se destacaram: Glencore, Anglo American e Antofagasta subiram 4,88%, 3,11% e 3,14%, respectivamente.

Em Frankfurt, o índice DAX avançou 1,97%, para 12.067,19 pontos. Deutsche Bank e Commerzbank subiram 5,11% e 3,96%, respectivamente, diante da maior expectativa de que esteja próxima uma elevação de juros nos EUA. No setor de energia, E.ON teve alta de 2,29%. Basf teve alta de 2,17% e Bayer, de 1,73%.

Na bolsa de Paris, o índice CAC-40 avançou 2,10%, para 4.960,83 pontos. Entre os bancos, Crédit Agricole subiu 3,64% e Société Générale, 4,92%, enquanto BNP Paribas teve ganho de 4,46%. A petroleira Total subiu 1,49%. O setor de automóveis também foi beneficiado pela expectativa positiva com a economia e o papel da Peugeot subiu 2,51%.

O índice FTSE-MIB, da bolsa de Milão, fechou em alta de 2,39%, para 19.364,39 pontos. A petroleira Eni se destacou e avançou 3,31%, entre os papéis mais negociados. Entre os bancos, UniCredit e Intesa Sanpaolo subiram 4,27% e 4,18%, respectivamente.

Em Madri, o IBEX-35 subiu 2,05%, para 9.751,50 pontos. A siderúrgica ArcelorMittal subiu 5,04%, enquanto o papel do Santander subiu 3,20% e o do Banco de Sabadell teve ganho de 6,77%.

Na bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 avançou 1,29%, para 4.708,06 pontos. Banco Comercial Português subiu 3,98%, Galp Energia subiu 0,83% e EDP Renováveis ganhou 1,96%. (Com informações da Dow Jones Newswires)

Veja também

+ Bolsonaro posta foto com filha e rebate crítica: “Já tomou Caracu hoje?”

+ Faça em casa receita de pudim com milho e leite condensado

+ Ex-capa da Playboy é presa acusada de tráfico de drogas em rede de prostituição

+ Com bumbum à mostra, Ivy Moraes filosofa no Instagram

+ Saiba por que as farmacêuticas vêm testar vacinas no Brasil

+ Namorada de Marco Verratti exibe fotos sensuais

+ Lívia Andrade posa de fio dental

+ Auxílio emergencial: Caixa credita hoje parcela para nascidos em janeiro

+ Google permite ver animais em 3D com realidade aumentada

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?