Finanças

Bolsas europeias se firmam em baixa, após oscilarem bastante em meio a PMIs

As bolsas europeias operam com bastante volatilidade desde a abertura dos negócios desta quarta-feira, à medida que investidores digerem indicadores que mostram a manufatura da região e da China se recuperando do choque do coronavírus e monitoram o disseminação da doença nos EUA. Na última hora, predominou um viés negativo nos mercados.

Desde o fim da noite de ontem, pesquisas da IHS Markit vêm apontando a retomada da manufatura em algumas das maiores economias, o que reforça esperanças de que a recuperação global seja mais rápida do que se imaginava.

Bolsas da Ásia e Pacífico fecham majoritariamente em alta após PMI chinês

Na China, o índice de gerentes de compras (PMI na sigla em inglês) industrial subiu a 51,2 em junho, atingindo o maior nível em seis meses. Na zona do euro e na Alemanha, os mesmos PMIs avançaram mais do que o esperado na leitura final de junho, mas permaneceram abaixo da marca de 50, sugerindo que o setor manufatureiro continua se contraindo, ainda que em ritmo mais contido. No Reino Unido, o PMI industrial melhorou para 50,1 no mês passado, indicando que a manufatura britânica está praticamente estável. Além disso, as vendas no varejo do setor alemão saltaram 13,9% na comparação mensal de maio, após sofrerem tombo de 5,3% em abril.

Ainda que os indicadores tenham dado alguma sustentação aos negócios, as bolsas da Europa oscilaram nas últimas horas e perderam fôlego mais recentemente.

O avanço da covid-19 nos EUA em meio à reabertura econômica continua sendo um grande empecilho para o apetite ao risco. Nos últimos dias, a maior economia do mundo vem registrando mais de 40 mil casos a cada 24 horas. Ontem, o assessor para coronavírus da Casa Branca Anthony Fauci disse que “não ficaria surpreso” se o ritmo de novas infecções saltasse para 100 mil por dia.

Nas próximas horas, investidores na Europa vão acompanhar indicadores de emprego e manufatura nos EUA. Há expectativa também para a última ata de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), mas o documento será divulgado apenas às 15h (de Brasília), quando os mercados europeus já estarão fechados.

Às 7h45 (de Brasília), as bolsas da Europa tinham perdas generalizadas: a de Londres caía 0,60%, a de Paris recuava 0,93% e a de Frankfurt cedia 0,92. Em Milão, Madri e Lisboa, as baixas eram de 1,05%, 0,71% e 1,35%, respectivamente. Um problema técnico atingiu o índice acionário alemão DAX na abertura de hoje, comprometendo o volume de negócios em Frankfurt.

No câmbio, o euro se enfraquecia a US$ 1,1205, de US$ 1,1237, mas a libra seguia a direção contrária, negociada a US$ 1,2409, ante US$ 1,2394 ontem. Com informações da Dow Jones Newswires.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel

Tópicos

bolsas Europa manhã