Finanças

Bolsas europeias recuam com risco gerado por vírus na China e de olho em Davos

As bolsas europeias operam em baixa significativa desde a abertura do pregão desta terça-feira, à medida que preocupações com um surto de coronavírus na China geram aversão a ativos considerados mais arriscados, como ações. Investidores na Europa também acompanham o início da reunião anual do Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça.

A questão do coronavírus entrou no radar com a aproximação do feriado do ano-novo lunar chinês, que começará na sexta-feira (24) e se estenderá por uma semana. Como centenas de milhões de pessoas na China tradicionalmente viajam nesta época do ano, cresce o risco de contágio.

Já o evento em Davos terá o problema das mudanças climáticas como assunto principal, mas prevê discursos de uma série de autoridades, incluindo do presidente dos EUA, Donald Trump.

Com o coronavírus e Davos no foco das atenções, os indicadores europeus divulgados mais cedo ficaram em segundo plano.

Na Alemanha, o índice ZEW de expectativas econômicas subiu de 10,7 pontos em dezembro para 26,7 pontos em janeiro, superando de longe a projeção de analistas, de avanço para 15 pontos. Já no Reino Unido, a taxa de desemprego ficou inalterada em 3,8% no trimestre até novembro de 2019, repetindo o nível dos três meses até outubro, enquanto os salários tiveram expansão anual de 3,4% no mesmo período.

Às 7h41 (de Brasília), a Bolsa de Londres caía 1,14%, a de Frankfurt recuava 0,44% e a de Paris se desvalorizava 1,06%. Já as de Milão, Madri e Lisboa tinham perdas de 1,36%, 0,90% e 0,46%, respectivamente. No câmbio, o euro subia a US$ 1,1107, de US$ 1,1099 ontem, e a libra seguia a mesma direção, cotada a US$ 1,3045, ante US$ 1,3009 ontem, impulsionada pelos dados britânicos. Com informações da Dow Jones Newswires.

Tópicos

bolsas Europa manhã