Finanças

Bolsas europeias ampliam recuperação, mas continuam atentas a coronavírus

As bolsas europeias operam em alta discreta na manhã desta quarta-feira, ampliando recuperação de ontem e afastando temporariamente preocupações com a epidemia de coronavírus iniciada na China, na esteira de um forte balanço trimestral do Santander e de um indicador positivo da Alemanha.

Desde o pregão anterior, os investidores na Europa têm mostrado um pouco mais de apetite por ações em meio a sinais de que a China está agindo rapidamente para conter o surto de coronavírus. Há avaliações também, como do Commerzbank, de que a crise epidemiológica não terá consequências econômicas sérias e duradouras.

Por outro lado, o coronavírus já infectou quase 6 mil pessoas e causou mais de 130 mortes na China, e casos da doença foram registrados em vários outros países. A Organização Mundial da Saúde (OMS) deve falar sobre o assunto em coletiva de imprensa esperada para o fim da manhã.

Além disso, a agenda europeia de hoje está favorecendo a tomada de risco.

Durante a madrugada brasileira, o Santander divulgou lucro de 2,783 bilhões de euros no quarto trimestre de 2019, 35% maior que o ganho de igual período do ano anterior e acima do consenso de analistas consultados pela FactSet, de 2,59 bilhões de euros. Em Madri, a ação do banco espanhol saltava 3,8%. Também agradou o informe trimestral da farmacêutica suíça Novartis, cujo papel subia 1,3% na Bolsa de Zurique.

Na Alemanha, a maior economia da Europa, o instituto GfK disse que seu índice de confiança do consumidor subiu de 9,7 pontos em janeiro para 9,9 pontos na pesquisa de fevereiro, surpreendendo economistas que previam recuo para 9,6 pontos. O GfK utiliza dados do mês atual para projetar a confiança do mês seguinte.

Mais tarde, quando os mercados europeus já estiverem fechados, as atenções vão se voltar para o anúncio de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA). Segundo analistas, o Fed deve manter seus juros inalterados, como já vem sinalizando. Mas é possível que o presidente do Fed, Jerome Powell, aborde a questão do coronavírus durante coletiva que se seguirá à decisão.

Às 7h33 (de Brasília), a Bolsa de Londres subia 0,09%, a de Frankfurt tinha alta marginal de 0,02% e a de Paris se valorizava 0,28%. Já as de Milão, Madri e Lisboa tinham ganhos de 0,31%, 0,48% e 0,31%, respectivamente. No câmbio, o euro se enfraquecia a US$ 1,1000, de US$ 1,1021 no fim da tarde de ontem, e a libra esterlina recuava levemente a US$ 1,3014, de US$ 1,3017 ontem. Com informações da Dow Jones Newswires.

Veja também

+ Grave acidente do “Cake Boss” é tema de reportagem especial

+ Ivete Sangalo salva menino de afogamento: “Foi tudo muito rápido”

+ Bandidos armados assaltam restaurante na zona norte do RJ
+ Mulher é empurrada para fora de ônibus após cuspir em homem
+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por redução de até 50% na parcela
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA
+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

Tópicos

bolsas Europa manhã