Finanças

Bolsas dos EUA fecham dia em mais uma queda; Nasdaq despenca 4%

Crédito: AFP/Arquivos

Todas as principais bolsas dos Estados Unidos fecharam em queda, consolidando o cenário de perdas da semana passada na Nasdaq (Crédito: AFP/Arquivos)

As bolsas norte-americanas fecharam mais um dia no negativo após sucessivas altas no mês passado e a Nasdaq, onde estão listadas as principais empresas de tecnologia do mundo, foi a mais afetada, em queda de 4,11%.

No pregão desta terça-feira (8), a Nasdaq recuou aos 10,847 pontos, enquanto o Dow Jones caiu 2,25% e o S&P 500, índice de referência onde estão as maiores empresas do mundo, fechou negativo em 2,78%.

+ Bolsas na Europa fecham em queda, com tecnologia e incerteza com Brexit
+ Bolsas da Ásia fecham em alta generalizada, apesar de tensões entre EUA e China

A Tesla, que vinha liderando as altas entre as companhias nos últimos meses, caiu 21,06%, negociada a US$ 330,21, enquanto a Apple, empresa mais valiosa dos EUA, recuou 6,73%, com os papeis negociados a US$ 112,82.

A derrocada da Nasdaq teve início na semana passada, que teve na quinta-feira (3) o pior pregão desde junho ao cair 5%.

Os fatores que podem explicar o desanimo nos investidores são vários e os principais atingem a guerra ideológica travada pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, contra as empresas chinesas; os rumos incertos das eleições presidenciais de novembro e o retorno dos casos de infecção pela covid-19 na Europa e na América do Norte.

Na semana passada, a Apple acumulou queda de 12%, após atingir pico na terça-feira (1), enquanto a Alphabet, empresa que controla o Google, acumulou declínio de 8% no mesmo período.

A Tesla, que era uma das expectativas do mercado para inclusão no índice S&P 500, acabou ficando de fora da listagem e viu uma possível concorrente, a montadora de carros elétricos Nikola, vender 11% de suas ações para a General Motors, impulsionando os papéis para chegar a um aumento de 40,79% nesta terça-feira (8).

Analistas agora começam a se questionar se os ganhos do início do verão norte-americano eram irreais e tudo não passava de uma “bolha das techs”.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel